Petróleo tem queda expressiva com novo aumento de produção da Opep

Os preços de barris de petróleo negociados em Londres e Nova Iorque nesta sexta-feira (1°) registram fortes baixas, após a leve alta da véspera. Analistas acreditam que a produção da matéria-prima na Organização dos Países Exportadores de Petróleo (Opep) tenha registrado um aumento em março -- com Irã e Iraque em destaque.

Em fevereiro, os dois maiores produtores da commodity no mundo, Rússia e Arábia Saudita, entraram em acordo para equilibrar a produção, mas a decisão ainda tem que ser aprovada pela Opep, na reunião do dia 17 de abril no Qatar. O Irã confirmou presença mas deixou claro de que não pretende reduzir produção.

Às 8h47, o barril de Brent registrava baixa de 2,58%, a US$ 39,29, na International Exchange Futures (ICE), em Londres. No mesmo horário, o barril do West Texas Intermediate (WTI), negociado no New York Mercantile Exchange (Nymex), em Nova Iorque, recuava 2,66%, a US$ 37,32.

Às 15h47, o Brent já caía 4,07%, a US$ 38,69, enquanto o petróleo do Texas se desvalorizava em 4,12%, vendido a US$ 36,76. 

No dia anterior, o barril de Brent para entrega em maio fechou em leve alta de 0,86% no mercado de futuros de Londres, cotado a US$ 39,60, enquanto o WTI fechou em leve alta de 0,05%, aos US$ 38,34. 

A Arábia Saudita pretende criar o maior fundo soberano do mundo sob gestão, para reduzir gradualmente a dependência dos preços da commodity.