Petróleo se valoriza com queda de poços ativos nos EUA

Os preços do petróleo seguem em alta na abertura da semana, após a forte recuperação da última sexta-feira (4) que levou o barril do Mar do Norte a quase US$ 39 e o barril do Texas a US$ 36. O mercado responde ainda à redução do número de poços ativos nos Estados Unidos, que levou a produção para uma mínima recorde, à expectativa por um acordo entre grandes produtores, e indicadores positivos no mercado de trabalho dos EUA.

O número de poços de extração ativos nos Estados Unidos passou de 400 para 392 na semana passada, segundo dados da empresa Baker Hughes.  

O ministro da Energia dos Emirados Árabes declarou nesta segunda-feira que o cenário atua força todos os produtores a congelarem oferta. Outros países, contudo, como o Irã, já se colocaram contra um corte. De acordo com o  ministro da Energia russo, Alexander Nova, um potencial corte na produção pode vir a ser discutido na Rússia, em Doha ou em Viena, entre 20 de Março e 1° de Abril. Arábia Saudita, Rússia, Qatar e Venezuela entraram em um acordo, no dia 16 de fevereiro, para a realização de uma reunião sobre o assunto.

Às 8h49, o preço do barril de Brent na International Exchange Futures (ICE) avançava 1,27%, a US$ 39,21; enquanto preço do barril do West Texas Intermediate, negociado em Nova Iorque, tinha uma alta de 1,48%, a US$ 36,45.

Às 9h43, o barril do Mar do Norte registrava alta de 1,32%, a US$ 39,23, e o WTI tinha avanço de 1,48%, a US$ 36,45.

Às 10h52, o petróleo Brent se valorizava em 0,85%, a US$ 39,05, no mesmo momento em que o barril do Texas tinha avanço de 0,78%, a US$ 36,20.

Mais tarde, às 12h07, o avanço do Brent saltava para 2,32%, com o barril cotado a US$ 39,62; enquanto o preço do barril de WTI tinha uma alta de 2,53%, a US$ 36,83.

Às 14h29, o barril de Brent estava avaliado em US$ 40,62, com avanço de 4,91%. Já o produto do Texas crescia 4,79%, a US$ 37,64.

Após o fim do embargo ao Irã, que chegou ao fim em janeiro, o primeiro carregamento de petróleo do país chegou à costa da Europa -- em Algeciras, na Espanha, neste domingo (6). No mesmo dia, o presidente do Irã, Hassan Rouhani, disse que as exportações de petróleo aumentarão em breve.

A CNPC anunciou que vai reduzir os gastos com investimento em 23%, para aumentar lucros e reverter a queda dos preço da matéria-prima. A empresa também vai cortar a produção de crude, de vido a uma pressão "sem precedentes"  no mercado.

Preços fecharam última semana em alta

Os barris com produção do Mar do Norte tiveram alta de 5,04% na sexta-feira (4), atingindo cotação de US$ 38,94. O produto do Texas teve avanço semelhante, de 5,06%, a US$ 36,32. A alta ocorreu em meio à declaração do ministro de Energia da Rússia, Alexander Novak, de que os países que mais produzem petróleo no mundo podem se reunir em breve. Também repercutiu no mercado global do petróleo o anúncio da empresa norte-americana Baker Hughes de que o total de poços e plataformas em operação nos EUA diminuiu para 392.

Utilizamos cookies essenciais e tecnologias semelhantes de acordo com a nossa Política de Privacidade.
Ao continuar navegando, você concorda com estas condições.
Saiba mais