Petróleos operam em queda, após declaração de ministro

Titular de Relações Exteriores da Arábia Saudita disse que país não está pronto para cortar produção

Os preços dos barris de petróleo registram queda nesta sexta-feira (19). O recuo ocorre após o ministro de Relações Exteriores da Arábia Saudita, Adel al-Jubeir, declarar que o país não está preparado para cortar a produção da commodity.

Nessa semana, representantes da Arábia Saudita se reuniram com Irã, Venezuela e Rússia para acertar eventual acordo para congelamento do número de barris produzidos.    

Às 10h09, o petróleo de Brent recuava 1,81%, valendo US$ 33,66. Já o produto de WTI desvalorizava 1,91%, com cotação de US$ 32,30.

Às 10h23, a produção do Mar do Norte apresentava recuo de 1,81%, com cotação de US$ 33,66. Já o do Texas caía 2,13%, cotado a US$ 32,23

Às 14h15, o barril de Brent já caía 4%, a US$ 32,92, enquanto o WTI se desvalorizava em 3,89%, vendido a US$ 31,65. 

Às 16h38, o Brent recuava 3,87% a US$ 32,92, ao mesmo tempo em que o barril de WTI caía 3,64%, a US$ 31,71. 

Petróleos fecharam em trajetórias opostas nesta quinta-feira 

Os barris petróleos fecharam, nesta quinta-feira (18), em direções distintas. Enquanto o Brent registrou leve recuo, o WTI avançou, mas também pouco. Os preços frearam após os Estados Unidos anunciarem que seus tanques armazenam 504,1 milhões de barris, após um aumento de 2,1 milhões de barris em relação à última semana. 

O barril de Brent para entrega em abril fechou em baixa de 0,63% no mercado de futuros de Londres, cotado a US$ 34,28.

Já o barril de WTI encerrou a sessão de hoje em alta de 0,36%, vendido a US$ 30,77.