Preços do petróleo voltam a se desvalorizar nesta quarta-feira

O petróleo volta a apresentar forte desvalorização nesta quarta-feira (20), depois de fechar abaixo dos US$ 29 na véspera. O barril de Brent no International Exchange Futures (ICE) e o futuro do light sweet crude (WTI) na Bolsa Mercantil de Nova York (Nymex) registravam quedas em torno de 2,5% durante a manhã e o Brent alcançou a marca dos US$ 27.

Às 9h42, o barril de Brent para entrega em março tinha baixa de 2,17%, a US$ 28,14 no International Exchange Futures (ICE), enquanto o futuro do light sweet crude (WTI) recuava 2,55%, a US$ 28,81 na Bolsa Mercantil de Nova York (Nymex).

Às 10h27, a baixa no barril de Brent estava em 3,18%, colocando o valor do petróleo em R$ 27,84; enquanto o WTI registrava queda ainda maior, de 3,30%, a US$ 28,59.

Às 12h33, o Brent se desvalorizava em 2,03%, a US$ 28,18; e o preço do barril de WTI caía 1.72%, a US$ 29,06.

Às 14h15, o futuro do Brent caía 3,95%, cotado a US$ 27,62. No mesmo horário, o WTI despencava 4,70%, para US$ 28,18.

Às 15h55, a queda do Brent chegava a 4,92%, para US$ 27,34, enquanto o WTI recuava 5,85%, cotado a US$ 27,84.

Às 17h12, o Brent caía 2,52%, cotado a US$ 28,04. Já o WTI recuava 3,38%, a US$ 28,57.

Os preços do petróleo fecharam esta terça-feira (19) sem direção definida. O Brent, barril de referência na Europa, manteve a tendência de alta durante todo o dia, mas continuou abaixo dos US$ 29. O WTI, por sua vez, caiu 3,26% em repercussão a expectativas da Agência Internacional de Energia (AIE) de que a commodity chegue a US$ 10. 

A AIE afirmou em relatório mensal que o preço do petróleo pode cair ainda mais, chegando a US$ 10, devido ao excesso de oferta, agravado pela entrada do petróleo iraniano no mercado e a uma desaceleração do aumento da procura pelos principais consumidores.

No final de semana, tiveram fim as sanções ao Irã, quarto maior produtor de petróleo no mundo, que retorna ao mercado já com excesso de oferta. O setor, que já tinha se programado para este retorno, é mais afetado agora por dúvidas em relação à demanda mundial e também por disputas geopolíticas. 

A Organização dos Países Exportadores de Petróleo (Opep), contudo, declarou nesta segunda-feira (18) que espera um "processo de reequilíbrio" do preço do petróleo já a partir deste ano, acreditando que a queda brusca deve fazer com que a produção de países como os Estados Unidos comece a cair.

>> Agência Internacional de Energia diz que preço do petróleo pode cair para US$ 10

>> Opep: equilíbrio de preços do petróleo começa em 2016

Utilizamos cookies essenciais e tecnologias semelhantes de acordo com a nossa Política de Privacidade.
Ao continuar navegando, você concorda com estas condições.
Saiba mais