Renault nega recall de 700 mil automóveis

A montadora francesa Renault desmentiu "categoricamente" a notícia sobre um possível recall de 700 mil veículos divulgada nesta terça-feira (19) pelo jornal econômico "Les Echos". 

A informação foi passada à reportagem pelo braço italiano do grupo, sobre o qual pairam suspeitas de, assim como a Volkswagen, ter fraudado testes de emissão de poluentes. 

Por outro lado, a ministra de Ecologia da França, Ségolène Royal, disse que a montadora terá de fazer reparos nos motores de 15 mil carros que já saíram de suas fábricas, mas ainda não foram vendidos.

Segundo a empresa, a medida tem como objetivo corrigir um "erro de calibragem" em modelos a diesel. No entanto, ainda não se sabe quais países farão parte do recall. Essa anomalia teria causado uma diferença entre os valores de emissão homologados e aqueles registrados em testes voluntários. 

Na semana passada, a Renault foi alvo de uma operação antifraude em seus escritórios de Lardy, na França, para fiscalizar unidades de controle de motores, o que indica que a empresa pode estar sendo investigada por conta do mesmo problema da Volkswagen.

Utilizamos cookies essenciais e tecnologias semelhantes de acordo com a nossa Política de Privacidade.
Ao continuar navegando, você concorda com estas condições.
Saiba mais