'El País': Argentina apresenta déficit de 7%, o maior em 40 anos

Macri começa a negociar dívidas com os fundos

Matéria publicada nesta quarta-feira (14) no El País, por Carlos E. Cué, fala que a primeira tarefa do Governo de Mauricio Macri, como ele mesmo insiste, desarmar os problemas deixados pelo kirchnerismo. Este é o discurso do novo presidente na última semana. A guerra contra os fundos é um dos desafios mais complexos. Macri afirma que sua antecessora só iniciou as negociações formais com Nova York, depois de dois anos total bloqueio de crédito. O Governo comunicou oficialmente que recebeu de herança da era 'K', o déficit de 7%, "o maior dos últimos 40 anos", segundo o ministro da Economia, Alfonso Prat Gay, que explicou em detalhes o probelma.

O déficit primário é, na verdade, de 5,8%, mas a equipe econômica de  Macri assumiu os compromissos dos últimos meses do governo Kirchner. Mas enquanto Macri defende a redução dos impostos, com um custo de 7.1 milhões de euros ao ano, o ministro lembra que o principal objetivo é diminuir o défcit no primeiro ano e eliminá-lo em 4 anos. E como será feito? Eles insistem que não haverá cortes sociais, e a fórmula inicial será eliminar os subsídios da eletricidade e do gás.

Utilizamos cookies essenciais e tecnologias semelhantes de acordo com a nossa Política de Privacidade.
Ao continuar navegando, você concorda com estas condições.
Saiba mais