Aviação brasileira tem pior desempenho mensal desde junho de 2003

O transporte aéreo doméstico no Brasil teve queda de 7,9% em novembro, em relação a igual mês de 2014, na demanda medida em passageiros-quilômetros transportados (RPK, na sigla em inglês). Os dados foram divulgados nesta terça-feira (15) pela Associação Brasileira de Empresas Aéreas (Abear). 

Esta foi a maior retração mensal do indicador desde julho de 2003, se também forem levados em conta os dados da Agência Nacional de Aviação Civil (Anac), já que série histórica da Abear teve início apenas em 2012. 

Novembro marcou o quarto mês consecutivo de retração na atividade brasileira de aviação comercial. Em agosto, setembro e outubro as quedas foram de 0,6%, 0,8% e 5,7%, respectivamente. E o cenário, na visão da Abear, não é nada animador. "A curva de tendência aponta que não chegamos ao ponto de inflexão da curva. Pelo contrário. A tendência é de piora porque nem as promoções estão conseguindo manter a taxa de ocupação nas empresas", afirmou Eduardo Sanovicz, presidente da entidade.

Em novembro, a Abear - composta por TAM, Gol, Azul e Avianca - registrou 7,7 milhões de viagens domésticas. Trata-se de um recuo de 5% em relação ao mesmo mês do ano passado. "Os dados de demanda pelo transporte no setor aéreo regrediram dois anos. Voltamos a patamares inferiores aos de 2013", disse Sanivicz.