'NYT': Presidente da China anunciou crescimento de 6,5% até 2020

Presidente Xi Jinping comunica que a China vai crescer economicamente  6,5% nos próximos 5 anos

Matéria publicada dia 5 de novemebro no The New York Times, por Edward Wong, conta que a meta é uma aparente tentativa de moderar as expectativas de que a economia do país vai recuperar seu crescimento de dois dígitos, referência das últimas décadas. O presidente da China, Xi Jinping, anunciou na terça-feira que o Partido Comunista e o governo nacional haviam estabelecido uma meta de 6,5 por cento para o crescimento econômico anual entre 2016-2020. O anúncio foi uma aparente tentativa de moderar as expectativas de que a economia da China vai abrandar o rebote para o crescimento de dois dígitos das últimas décadas. O partido também divulgou em linhas gerais as propostas para o seu plano nos próximos cinco anos. 

A reportagem do jornal americano diz que esse modelo de desenvolvimento econômico foi discutido em uma recente sessão plenária do partido em Pequim e está previsto para ser concluído na próxima primavera pelo Congresso Nacional do Povo, uma legislatura que concede aprovação para a política do partido. Ao declarar a meta de 6,5 por cento, o Sr. Xi foi reiterando uma figura que o primeiro-ministro Li Keqiang tinha usado em um discurso no domingo na Coréia do Sul. Os líderes dizem que o objetivos devem ser realizados para o produto interno bruto da China e da renda per capita em 2020  ser o dobro do que foi em 2010. "A China tem o objetivo de reduzir o déficit e elevar a renda proporcional da população de classe média nos próximos cinco anos", de acordo com um relatório da Xinhua, a agência de notícias estatal, sobre as propostas para o próximo plano de cinco anos, que será o 13º na história do partido. O produto interno bruto per capita da China é de cerca de $ 7.800, disse o relatório da Xinhua, citando dados divulgados nesta terça-feira. Com cerca de 1,4 bilhão de pessoas, a China é o país mais populoso do mundo. O plano de desenvolvimento atual, que vai de 2011 até o fim deste ano, estabeleceu uma meta de crescimento anual de cerca de 7 por cento.