Levy vê urgência em discussão sobre idade mínima para aposentadoria

Para o ministro, que acompanhou o lançamento de relatório da OCDE, adoção é oportuna

O ministro da Fazenda, Joaquim Levy, defendeu nesta quarta-feira (4) a implementação da idade mínima para a aposentadoria. Presente no lançamento de relatório da Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Econômico (OCDE) com sugestões para a economia brasileira, o ministro disse que o governo tem urgência em analisar o tema.

A OCDE recomendou o aumento gradual da idade mínima e a indexação das aposentadorias e pensões aos preços ao consumidor. "Sobre a menção à aposentadoria e idade mínima, é uma questão que o governo está olhando e tem urgência por sinalizar qual a direção porque dela depende o próprio orçamento, decisões do orçamento, retomada do crescimento", respondeu o ministro.

Levy, que vê a adoção da idade mínima como "oportuna", também falou sobre a necessidade de reduzir despesas com auxílio-doente, sem afetar a qualidade de vida das pessoas. Sobre as discussões em torno da admissibilidade em aposentadorias rurais, ele afirmou que os benefícios rurais são "maiores do que a participação de mão de obra, o que significa algum tipo de desequilíbrio na concessão". 

O chefe da Fazenda também tratou da simplificação tributária. De acordo com ele, e equipe econômica em breve enviará ao Congresso o projeto de reforma do PIS/Cofins. "No Brasil, os impostos indiretos são maiores que em outros lugares, proporcionalmente", afirmou, lembrando também a importância de simplificar o ICMS. "Simplificação da tributação, junto com maior acesso ao crédito, são caminhos para desconcentrar a economia e aumentar a concorrência", argumentou Levy.