'Financial Times': BCE diz que os bancos da Grécia precisam de mais de € 14 bilhões 

Matéria publicada dia 31 de outubro no Financial Times, por Claire Jones, Jim Brundsen, Eleftheria Kourtali e Martin Arnold, fala que o Banco Central Europeu tem dito que os bancos da Grécia estão em dificuldades, precisando de mais de € 14 bilhões para sobreviver. Os resultados da verificação da saúde dos bancos gregos pelo BCE  mostraram que os quatro principais credores totalizam um valor de 14 bilhões de euros. A avaliação do BCE diz que o  "cenário é adverso", onde os credores devem ser capazes de resistir a um agravamento das condições econômicas e financeiras. Sob o cenário adverso, a economia grega está previsto para encolher em 6 por cento até o final de 2017. Abaixo do cenário padrão do que é conhecido oficialmente como a "avaliação global", o déficit de capital é de € 4,4 bilões.

A reportagem conta que o Piraeus Bank precisa de € 4,9 bilhões, o Banco Nacional da Grécia precisa de € 4,6 bilhões, o Alpha Bank  necessita de € 2,7 bilhões e mais € 2,1 bilhões para o Eurobank. O Piraeus Bank disse que o resultado refletiu um tratamento mais rigoroso da sua carteira de crédito para pequenas empresas de médio porte. Piraeus Bank é o maior credor nesse segmento de mercado. O Alpha Bank apontou para o aumento dos requisitos de capital ordinários de nível 1 a 8 % de 5,5 % em 2014 e disse que a avaliação da qualidade dos ativos mais rigorosa aumentou os seus requisitos de fornecimento.  As ações nos quatro bancos gregos perderam mais de 95 por cento de seu valor nos últimos cinco anos, deixando-os com uma capitalização bolsista de € 5 bilhões abaixo do mercado.

Os bancos têm até 06 de novembro para dizer como eles pretendem se capitalizar. Eles pretendem aumentar preventivamente seu capital antes dos resultados dos testes, que são uma parte fundamental do resgate de € 86 bilhões á Grécia, que os líderes da área do euro concordaram em julho. Desse acordo de resgate, € 25 bilhões será destinado para dar suporte aos bancos.