Puxado por Tóquio e Xangai, mercado asiático fecha segunda no vermelho

As bolsas asiáticas começaram novembro no vermelho, com exceção de Seul. Dados econômicos vindos da China e dos Estados Unidos influenciaram a queda, que em Tóquio ultrapassou 2%. 

Na China, o índice de gerentes de compras (PMI, na sigla em inglês) industrial chegou a 48,3 em outubro. Mesmo que tenha subido na comparação com o mês anterior (quando chegou a 47,2), o indicador, divulgado pelo banxo Caixin neste domingo (1), continua abaixo dos 50 pontos. Isso significa que há contração na atividade. 

No encerramento da segunda-feira, o índice Nikkey 225, de Tóquio, caía 2,10%, para 18.683,24 pontos. Em Xangai, o Xangai Composto recuava 1,70%, aos 3.325,08 ponyos. Em Hong Kong, o Hang Seng tinha baixa de 1,19%, para 22.370,04 pontos. O Kospi, de Seul, foi o único com desempenho positivo: avançou 0,28% e fechou o pregão a 2.035,24 pontos.