Vendas no varejo caem 0,9% em agosto ante julho, diz IBGE

Foi o sétimo mês consecutivo de queda do indicador

As vendas do comércio varejista restrito caíram 0,9% em agosto ante julho, na série com ajuste sazonal, informou na manhã desta quarta-feira (14/10) o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). 

Na comparação com agosto do ano passado, sem ajuste sazonal, as vendas do varejo tiveram queda de 6,9% em agosto deste ano. 

Até agosto passado, as vendas do varejo restrito acumulam queda de 3,0% no ano e recuo de 1,5% nos últimos 12 meses.

Em agosto, o setor que mais contribuiu para a queda do índice foi o de veículos e motos, partes e peças (-5,2%), que vem mostrando taxas seguidamente negativas. Também caiu o movimento nos ramos de livros, jornais, revistas e papelaria (-2,6%); material de construção (-2,3%), móveis e eletrodomésticos (-2,0%) e tecidos, vestuário e calçados (-1,7%).

Já as vendas do varejo ampliado, que incluem as atividades de material de construção e de veículos, caíram 2,0% em agosto ante julho, na série com ajuste sazonal, seguindo o IBGE.

Até agosto, as vendas do comércio varejista ampliado acumulam queda de 6,9% no ano e recuo de 5,2% nos últimos 12 meses.

Na comparação com agosto do ano passado, sem ajuste, as vendas do varejo ampliado tiveram queda de 9,6% em agosto deste ano. Nesse confronto, as projeções variavam entre queda de 10,10% e recuo de 6,80%, com mediana negativa de 8,40%.

O comércio ficou ainda mais fraco na Paraíba, onde caiu quase 5% em relação a julho, além de Tocantins, que mostrou baixa de 4,4%, e Alagoas, onde recuo 3,3%. Na contramão, vendeu mais o varejo do Ceará (0,2%), do Mato Grosso do Sul e do Acre, ambos com 0,4%.

Média trimestral

O índice de média móvel trimestral das vendas do comércio varejista restrito caiu 1,1% no trimestre encerrado em agosto em comparação aos três meses até julho. No varejo ampliado, o índice de média móvel trimestral das vendas recuou 0,8% no mesmo período.

Por Denise de Almeida