Confiança do comércio registra o menor nível desde 2010

Índice caiu 1,0% em julho em relação a junho, novo mínimo histórico na série, iniciada em 2010.

O Índice de Confiança do Comércio (Icom) caiu 1,0% em julho em relação a junho, na série com ajuste sazonal, divulgou a Fundação Getulio Vargas (FGV), nesta sexta-feira (24). Com o resultado, o Icom atingiu 89,8 pontos no período, um novo mínimo histórico na série, iniciada em março de 2010.

"Não há sinalização de melhora da atividade do setor para os próximos meses nos resultados de julho da Sondagem do Comércio. De modo geral, os indicadores se mantêm em patamar historicamente baixo e as expectativas prosseguem piorando, em linha com o contexto de redução no nível de emprego e desaceleração do consumo doméstico", avalia o economista Silvio Sales, consultor da FGV, em nota oficial.

O Icom tem uma média histórica de 122,2 pontos. Quanto mais baixa for a pontuação em relação à média histórica, pior é a avaliação que as empresas fazem da situação dos negócios do momento e das expectativas em relação ao comércio no futuro. A pesquisa abrangeu todos os segmentos do comércio do país. O indicador engloba tanto os varejistas quanto atacadistas.

Em julho, o resultado foi determinado pela piora na perspectiva sobre o futuro. O Índice de Expectativas (IE-COM) recuou 4,6% neste mês em relação a junho, para 115,2 pontos, influenciado pelo menor otimismo dos empresários em relação à evolução da situação dos negócios nos seis meses seguintes.

No mês passado, o Icom já havia cedido 1,4%. Com o resultado anunciado nesta sexta-feira, o índice permaneceu na zona considerada "desfavorável" à atividade, abaixo dos 100 pontos. A média histórica do indicador é de 121,4 pontos.