Jornal 'Financial Times' é colocado à venda

O grupo Pearson, editora proprietária do Financial Times, anunciou oficialmente nesta quinta-feira (23) que está em "conversas adiantadas"  para a venda do tradicional jornal britânico especializado em economia.

Em comunicado à Bolsa de Londres, a Pearson confirmou a notícia: "Pearson constata as recentes conjeturas na imprensa e confirma que está em conversas avançadas sobre a possível venda do Grupo FT, embora não haja certeza de que as conversas levem a uma transação", diz a nota.

A Pearson, fundada em 1844, é proprietária do Financial Times há quase 60 anos. O grupo estaria negociando sua venda para uma empresa de notícias digitais.  E estaria mais inclinado a apostar no negócios dos livros de educação nos Estados Unidos e nos mercados emergentes.

Críticas ao Brasil

Em editorial publicado na quarta-feira (22), o Financial Times fez duras críticas à economia brasileira. No artigo intitulado "Recessão e corrupção: a podridão crescente no Brasil", o jornal afirma que "incompetência, arrogância e corrupção quebraram a magia" do país, que poderá enfrentar "tempos mais difíceis."

"O Brasil hoje tem sido comparado a um filme de terror sem fim", afirma.

De acordo com o editorial, "a maior razão" da crise enfrentada pela presidente Dilma Rousseff seria o escândalo de corrupção na Petrobras. "Poucos acreditam que Dilma seja corrupta, mas isso não significa que ela esteja segura", diz o jornal.