'FT': China quebra silêncio de 6 anos sobre reservas de ouro

A China encerrou anos de especulação sobre suas explorações oficiais de ouro ao revelar um salto de quase 60 % em suas reservas desde 2009. É o que diz um artigo de Henry Sanderson, do jornal britânico Financial Times, publicado neste domingo (19/07).

O banco central do país afirmou que suas reservas de ouro eram de 1.658 toneladas (53,31 milhões de onças troy de ouro) por volta do final de junho. Em abril de 2009, as reservas eram de 1.054 toneladas.

A confirmação da compra da China veio no momento em que o preço do ouro, pressionado por um dólar fortalecido, caiu ao seu nível mais baixo em cinco anos, enquanto as ações das maiores mineradoras de ouro também caíram na sexta-feira (17/07).

As compras mostram como a China está buscando diversificar suas reservas longe do dólar americano, num momento em que o preço do ouro está caindo.

Mas essa tarefa tem sido complicada pelo rápido crescimento nas reservas cambiais externas da China, que são as maiores do mundo com mais de US$ 3 trilhões.

Com um valor de US$ 60,9 bilhões baseada nos preços de hoje as reservas de ouro da China respondem por apenas 1.6% de seu total de fundos externos. A média mundial estava apenas abaixo de 10% no final de 2014, de acordo com a Reuters GFMS.

“A realidade é que é muito difícil diversificar se você precisa achar maneiras de injetar bilhões de novos recursos toda semana,” afirmou Thilo Hanemann, chefe de pesquisa no Rhodium Group em Nova York.

A China tem reduzido suas reservas cambiais externas este ano, registrando US$ 3,69tn no final de junho, abaixo dos US$ 3,84tn em janeiro.

A China não costuma divulgar dados sobre seu ouro. Antes de seu ultimo anúncio em 2009, hou apenas outros dois de mudanças em suas reservas de ouro ao longo dos últimos 15 anos, de acordo com a UBS.

É possível que o anúncio do ouro seja “um gesto de transparência único” já que o FMI conclui conversas neste ano sobre inclusão de sua moeda em sua Special Drawing Rights (SDR), a moeda criada pelo FMI, disse a UBS.

A China está procurando a aprovação do FMI ao renminbi como uma moeda oficial de reserva, uma designação que exige que a moeda possa ser “livremente usada”.

O ouro chegou a atingir um pico histórico de US$ 1,921.17 por onça de troy em 2011 antes de ter uma queda acentuada e ser negociado a US$ 1,130 hoje. As ações da mineradora de ouro Barrick Gold, maior produtor do mundo, atingiu sua maior queda em 24 anos na sexta-feira.

“O ouro é a mesma coisa que outras commodities e ativos financeiros, o preço global do ouro sobe e desce,” disse o PBoC.

“Baseado em nossa análise no valor do ouro e nas mudanças dos preços, e na premissa de não criar turbulências no mercado, nós acumulamos constantemente reservas de ouro através de vários canais internacionais e domésticos.”

As compras da China foram feitas por meio de  refinarias internas variadas, reservas de produção e através de comércio de intercâmbios nacionais e internacionais, diz.