Produtos industrializados ficam 0,31% mais caros em abril, na saída das fábricas

O Índice de Preços ao Produtor (IPP), que mede a variação de preços dos produtos na saída das fábricas, descontados impostos e frete, registrou uma inflação de 0,31% em abril deste ano. A taxa é inferior à observada em março deste ano (1,86%), mas superior à registrada em abril de 2014, quando houve uma deflação (queda de preços) de 0,41%.

Segundo o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), o índice acumula taxa de 2,47% no ano e de 5,63% no acumulado de 12 meses.

Quatorze das 23 atividades industriais pesquisadas tiveram alta de preços em seus produtos em abril deste ano. Entre as atividades que tiveram mais impacto na taxa de inflação do mês estão outros produtos químicos (com inflação de 3,5%) e refino de petróleo e produtos de álcool (com taxa de 1,14%).

Outros destaques no IPP de abril foram para as atividades de produtos de metal (2,83%), minerais não-metálicos (2,26%), farmacêutica (2,18%) e têxtil (1,96%).

As principais atividades que contribuíram para frear a inflação em abril foram os alimentos, com deflação de 0,91%, e a metalurgia, com deflação de 1,11%. A maior queda de preços, no entanto, foi observada nos equipamentos de informática (-3,14%).