Pesquisa revela o que o mundo pensa sobre a influência das grandes corporações

Uma reportagem no The New York Times da última quarta-feira (24), traz uma pesquisa chamada Corporation Perception Indicator (ou Indicador de Percepção sobre as Corporações) sobre as grandes corporações, sua influência na economia e na política e o que diversos países ricos e emergentes pensam sobre isso. A pesquisa foi feita em 25 países, incluindo, na América Latina, o México, o Brasil e a Colômbia.

Analisando a pesquisa podemos ver que quando perguntado se as empresas têm muito, muito pouco ou  a quantidade certa de influência sobre o nosso futuro econômico, 48% dos norte-americanos escolheram "demais".  No Brasil,  63% das pessoas acham que o poder de influência é muito grande.Esse é o maior índice entre todos os países pesquisados. Os brasileiros parecem desconfiar do empresariado.

No geral, 45% da população acha que o governo é o que mais tem influência na vida cotidiana, enquanto 36% acham que são as grandes corporações. Já entre os empresários,  a porcentagem que vê como o maior influente justamente as corporações sobe para 38% e somente 16% dos empresários veem o governo como uma forte influência.

No Brasil, o número de pessoas que acredita que as grandes corporações tem “muita influência” no governo  federal é de 57%. Brasileiros porém, acham que em governos mais próximos, como o estadual e o municipal tem menos influência. O percentual de pessoas que acham que os empresários tem muita influência cai para 47% e 43% respectivamente para governo estadual e municipal. Aparentemente, brasileiros acham que quanto mais distante da sua realidade, mais o governo é comprável. 

Cerca de 55% dos brasileiros acreditam que “é uma boa coisa quando corporações são influentes e fortes porque elas são propulsores de inovação e crescimento econômico”. Quase 40%, porém, acredita que “é uma coisa ruim quando as corporações são fortes e influentes porque elas se aproveitam do sistema para se isentar das responsabilidades”.

Questionados sobre qual o papel das corporações no seu futuro, 70% dos brasileiros disseram que as empresas são uma esperança e somente 20% atribuíram algum tipo de medo. Esse é o maior percentual de aceitação entre os países da América Latina.

Assim, como muitos outros países, a pesquisa revela que a primeira coisa que vem na cabeça dos brasileiros quando se pergunta sobre política é corrupção. Tanto os empresários como as pessoas comuns dos EUA, Brasil, México, Colômbia, Reino Unido, Espanha tem corrupção como a primeira palavra em mente.