ANP leiloa 30% de áreas ofertadas em leilão e arrecada R$ 165 milhões

Menos da metade das áreas ofertadas foram arrematadas no leilão de blocos terrestres promovido pela Agência Nacional do Petróleo (ANP) nesta quinta-feira, no Rio de Janeiro. Dos 240 blocos ofertados, 72 foram arrematadas por 12 empresas, das quais oito nacionais e quatro estrangeiras. A Petrobras foi a maior vencedora. Grandes empresas estrangeiras, como Shell e Total, não fizeram oferta no leilão. Foram arrecadados R$ 165,196 milhões com as propostas feitas durante o certame.

Em média, foram pagos R$ 2,294 milhões em cada área conquistada. As áreas terrestres oferecidas concentram-se em sete bacias, como a do Recôncavo, do Paraná e do Acre. Todas com forte potencial para a exploração de gás natural. A novidade no leilão foi a entrada de empresas do setor de energia elétrica no ramo de petróleo, como a Suez, Eneva e a Copel.

“Pretendemos semear a cultura de exploração do gás em terra no país. Metade do que foi ofertado eram em bacias maduras e a outra metade em bacias de novas fronteiras. Ofertamos sete bacias, e vendemos áreas em cinco bacias”, afirmou a diretora-geral da ANP, Magda Chambriard.

A projeção é que esses 72 blocos receberão investimentos de pelo menos R$ 503,525 milhões. A expectativa é que, do total de equipamentos e serviços utilizados nessas áreas, 72% sejam fabricados no Brasil, durante a fase de exploração. No desenvolvimento, a perspectiva é que essa proporção suba para 84%.

A 12ª Rodada de Licitações realizada pela ANP ofertou 240 blocos exploratórios terrestres com potencial para gás natural em sete bacias sedimentares. O leilão contempla tanto a exploração de recursos convencionais quanto não convencionais, o chamado shale gas, que é retirado diretamente da rocha, por meio de fracionamento.

As bacias estão localizadas nos Estados do Amazonas, Acre, Tocantins, Alagoas, Sergipe, Piauí, Mato Grosso, Goiás, Bahia, Maranhão, Paraná, São Paulo, e totalizam 168.348,42 quilômetros quadrados. Serão 110 blocos em áreas de novas fronteiras nas bacias do Acre, Parecis, São Francisco, Paraná e Parnaíba, com área de 164.477,76 quilômetros quadrados, e 130 blocos nas bacias maduras do Recôncavo e de Sergipe-Alagoas, com área de 3.870,66 quilômetros quadrados.