Classe média é a vilã da desaceleração no Brasil

The Wall Street aponta endividamento como responsável

O jornal econômico americano apontou em matéria, na sua edição desta quarta-feira (9/10), a classe média como o principal responsável pela desaceleração da economia brasileira. Segundo o periódico, o crescimento brasileiro, "antes impressionante, vem perdendo fôlego e não deve se recuperar tão cedo. O jornal afirma que muitos compradores estão sofrendo com as contas que chegam dos cartões de Crédito, que chegam a cobrar até 80% de juros anuais ou mais.

De acordo com o jornal, o crédito ao consumidor mais que dobrou chegando a US$ 600 bilhões em cinco anos. No entanto, diante da inadimplência, os bancos agora hesitam em emprestar. Na matéria, o jornal coloca as declarações da comerciante Odete Meira da Silva, que tomou empréstimos para comprar um computador, uma TV de tela plana e material de construção para levantar uma casa num, terreno de periferia num bairro violento em São Paulo. Ela teve que interromper as obras e a matéria afirma, com mórbida ironia, que essa situação é a imagem da própria escalada da economia brasileira: “só até a metade”.

O jornal afirma ainda que o crescimento no Brasil atualmente é o menor desde 2004 e que, aliado a essa situação, estão se juntando outros problemas, incluindo queda das exportações para a China e uma redução na produção industrial, causada pela valorização do real, fatores que, segundo o Wall Street, já estavam desacelerando a economia brasileira. A matéria cita ainda a inflação de 6% ao ano e a possibilidade do Banco Central ter que aumentar os juros para controlar a alta dos preços.