Governo anuncia mudanças nas regras para o leilão do aeroporto de Confins

Data de leilão também foi adiada para 22 de novembro

Após questionamentos feitos pelo Tribunal de Contas da União (TCU) sobre os estudos técnicos usados para a concessão, o governo anunciou nesta segunda-feira mudanças nas regras para o leilão do aeroporto de Confins, em Minas Gerais. 

O ministro da Secretaria de Aviação Civil, Wellington Moreira Franco, disse que a exigência de experiência do operador - empresa que irá administrar o aeroporto - foi reduzida de 35 milhões de passageiros por ano para 20 milhões de passageiros por ano. Para o aeroporto Tom Jobim (Galeão), no Rio de Janeiro, a exigência de 35 milhões será mantida.

Moreira Franco também anunciou que o leilão dos dois aeroportos, previsto para 31 de outubro, foi transferido para 22 de novembro.

O valor do lance mínimo para o aeroporto do Galeão foi fixado em R$ 4, 73 bilhões e para Confins, R$ 994 milhões. Os vencedores do leilão de Confins serão obrigados por contrato a investir R$ 3,6 bilhões.  No Galeão o aporte mínimo da iniciativa privada em obras de ampliação e melhorias é de R$ 5,8 bilhões.