Índice do Custo de Vida em São Paulo é o menor desde junho de 2011

O Índice do Custo de Vida (ICV) no município de São Paulo registrou variação de 0,09% em julho, de acordo com cálculo feito pelo Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Socioeconômicos (Dieese). É o menor percentual desde junho de 2011 (-0,34%). 

Quando avaliados os grupos que fazem parte do índice, o que mais contribuiu para a variação foi o da saúde, que teve alta de 2,73%. Os maiores aumentos foram verificados em assistência médica (3,36%), sob a influência principalmente de seguros e convênios médicos, que ficaram 3,61% mais caros, e consultas médicas, que subiram 2,55%.

O grupo habitação teve elevação de 0,14%. Os subgrupos conservação do domicílio e locação, impostos e condomínio tiveram alta de 0,67% e 0,28%, respectivamente. Já o subgrupo operação do domicílio registrou queda de 0,09%. 

O grupo alimentação apresentou queda de 0,37% e transporte, de 1,48%. Em alimentação, tiveram variação positiva os subgrupos da indústria alimentícia (0,29%) e alimentação fora do domicílio (0,22%). Em contrapartida, os produtos in natura e semielaborados registraram queda de 1,15%.

Em transporte, o resultado decorre da retirada dos reajustes aplicados em junho nas tarifas do transporte coletivo (-3,94%) e da queda do preço dos combustíveis.

De acordo com a assistente de Coordenação de Preços do Dieese, Carla Maria Bernadelli, as alterações nos preços influenciaram de maneira diferente os três estratos de renda pesquisados. Para as famílias com menor poder aquisitivo (primeiro estrato), o ICV teve queda de 0,22%. Entre aquelas do segundo estrato, de nível intermediário, a redução ficou em 0,08%. Para as famílias de maior poder aquisitivo, entretanto, houve elevação de 0,26%. 

“A queda do valor dos transportes coletivos acabou beneficiando mais as famílias mais pobres, que utilizam mais esse meio de transporte. A queda do preço dos alimentos também pesou muito no custo de vida para essa faixa de renda. Neste mês, o ICV foi mais alto para as famílias de faixa de renda maior, com influência da alta do grupo saúde, com a elevação dos preços dos convênios médicos”, explicou.

No acumulado dos últimos 12 meses, o ICV chega a 6,64%. De janeiro a julho, o índice chega a 4,09%.