Arrecadação do governo bate recorde no semestre, apesar do recuo em junho

A Secretaria da Receita Federal informou nesta segunda-feira que a arrecadação do governo recuou 1% em termos reais em junho e somou R$ 85,6 bilhões. Apesar disso, o primeiro semestre registrou um novo recorde de receitas: R$ 543,98 bilhões, o que representa uma alta de 0,49% sobre o mesmo período do ano passado. 

Em termos nominais, a arrecadação cresceu R$ 35,43 bilhões de janeiro a junho deste ano, ou seja, sem a correção, pela inflação, dos valores arrecadados no mesmo período do ano passado. Assim, esse crescimento foi contabilizado com base no que efetivamente ingressou nos cofres da União.

Segundo a Receita, a alta real da arrecadação neste ano está relacionada à arrecadação extraordinária de R$ 4 bilhões do PIS e da Cofins e de mais R$ 3 bilhões do IRPJ e da CSLL em decorrência de depósitos judiciais e venda de participação societária. Sem estas operações, que renderam R$ 7 bilhões ao governo, a arrecadação teria registrado queda no acumulado de 2013.

De acordo com a Receita Federal, o fraco comportamento da arrecadação neste ano, que teve alta real somente por conta de fatores extraordinários, está relacionado com as desonerações de tributos - que já somam mais de R$ 30 bilhões no primeiro semestre.