Dólar comercial fecha em alta de 0,85% com indicadores dos EUA

O dólar comercial fechou a terça-feira em alta após indicadores nos Estados Unidos orientarem o mercado de câmbio. Com isso, a moeda norte-americana valorizou 0,85%, cotada a R$ 2,248 na compra e R$ 2,250 na venda.

O mercado nacional acompanhou o ritmo da moeda americana no cenário internacional, que sobe diante da expectativa da divulgação da geração de empregos nos EUA, na próxima sexta-feira. 

Segundo análise da Lerosa Investimentos, este indicador engloba todo o mercado, incluindo o setor público que pode contribuir com geração negativa nesse mês. Portanto, os investidores vão sim esperar até sexta-feira para ter noção mais exata da situação atual do mercado de trabalho. Esse tende a ser o principal indicador para as apostas nos juros futuros e com consequência óbvia nas moedas dos países emergentes.

Nesse cenário, a cotação do dólar sobe diante da perspectiva de que tais dados no país alimentem expectativas de que o Federal Reserve (banco central norte-americano) vai reduzir o programa de estímulo monetário.

No Brasil, a valorização do dólar também foi influenciada pelos dados de produção industrial divulgados pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). Em maio, a produção industrial apontou queda de 2,0% frente ao mês imediatamente anterior.

Para Sidnei Nehme, da NGO Assessoria Financeira, o Banco Central deverá continuar buscando atenuar a alta do preço da moeda americana com a oferta de “swaps cambiais”. “Mas prevalecendo a perspectiva atual será levada à necessidade de ofertar dólares efetivos ao mercado à vista, por inevitável”, declarou.