Dólar fecha em alta de 1,69% no último dia útil do mês

O dólar comercial fechou a sexta-feira e alta mesmo com nova atuação do Banco Central. Com isso, a moeda norte-americana valorizou 1,69%, cotada a R$ 2,230 na compra e R$ 2,232 na venda.

No último pregão do semestre a “briga” entre comprados e vendidos no mercado de câmbio puxou o dólar para cima. Por isso, hoje, o BC atuou em dois momentos, anunciando leilão de swap cambial tradicional, equivalente à venda de dólares no mercado futuro, às 10h26 e às 11h15, e mesmo assim não conteve a alta da moeda norte-americana ante a moeda brasileira.

No entanto, a injeção de quase US$ 4 bilhões pelo BC em dois leilões de swap cambial apenas amenizou a alta do dólar nesta que foi a última sessão do trimestre e semestre. Analistas afirmam que a sexta-feira foi de fluxo negativo, o que acabou intensificando a pressão no câmbio que veio nesta tendência desde o início do dia.

Para Luciano Rostagno, estrategista-chefe do Banco WestLB do Brasil, esta queda de braço entre comprados e vendidos pela formação da Ptax acontece por estarmos no último dia útil do mês, causando pressão no câmbio que não reage muito às intervenções do BC.

O BC tem feito intervenções no mercado de câmbio para suavizar a alta do dólar. Ontem, o diretor de Política Econômica do BC, Carlos Hamilton Araújo, disse que a autoridade monetária “não tem compromisso com nenhum patamar de câmbio”, mas, sempre que julgar necessário, fará intervenções no mercado.