Bolsas de valores com movimentos distintos

Índices europeus e indicador futuro das bolsas norte-americanas operam em alta

Nesta quinta-feira, 27, as principais bolsas de valores mundiais devem apresentar movimentos distintos, com investidores avaliando os dados da economia global. Diante deste cenário, os índices europeus e o indicador futuro das bolsas norte-americanas operam em alta.

Na Ásia, as bolsas encerraram o pregão em alta, reagindo à revisão baixista do Produto Interno Bruto (PIB) dos Estados Unidos, que favorece a continuação do programa de estímulos monetários norte-americanos.  Na China, no entanto, as preocupações com a baixa liquidez e o crescimento do país limitaram os ganhos e o mercado acionário registrou leve queda.

Enquanto isso, na Europa, as bolsas operam sem direção definida, próximas à estabilidade, a despeito dos dados positivos divulgados pela manhã. Há pouco, o CAC-40, de Paris, registrava ganhos de 0,24%, aos 3.734 pontos. E o DAX, de Frankfurt, valorizava 0,17%, aos 7.954 pontos. E o índice FTSE-100 avançava 0,40%, aos 6.189 pontos.

Na região, o número de desempregados na Alemanha registrou uma baixa surpreendente em junho, com 12.000 pessoas a menos, mas a taxa de desemprego corrigida permaneceu estável. Em dados corrigidos, a taxa de desemprego da principal economia europeia atingiu 6,8% em junho, resultado igual ao de maio, que foi revisado para baixo.

Além disso, o crédito ao setor privado na Eurozona caiu 1,1% em maio, depois de um recuo de 0,9% em abril, anunciou o Banco Central Europeu (BCE). A massa monetária M3, indicador avançado da inflação na zona do euro, recuou 2,9% em maio, depois de uma alta de 3,2% em abril.

Em Wall Street, o indicador futuro das bolsas norte-americanas aponta para uma abertura em campo positivo. Mas, investidores aguardam a divulgação dos pedidos iniciais de auxílio desemprego semanal.

Aqui no Brasil, o Ibovespa deverá registrar nova alta, com a melhora do mercado externo.

E abrindo a agenda de indicadores internos, a Fundação Getulio Vargas (FGV) revelou que o Índice Geral de Preços - Mercado (IGP-M) variou 0,75%, em junho. Em maio, o índice não variou. Em junho de 2012, a variação foi de 0,66%. A variação acumulada em 2013, até junho, é de 1,74%. Em 12 meses, o IGP-M variou 6,31%.

Além disso, o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) publicou que em maio de 2012, o Índice de Preços ao Produtor (IPP), que mede a evolução dos preços de produtos 'na porta de fábrica', sem impostos e fretes, teve variação de 0,28% quando comparado com abril, resultado inferior à taxa observada na comparação entre abril e março (0,40%).

Por fim, no mercado de câmbio, o dólar deverá apresentar recuo em relação às demais moedas mundiais.

(Michele Rios – Agência IN)