Bolsas devem subir nesta sexta-feira

Em dia marcado por agenda fraca, as principais bolsas de valores mundiais devem apresentar ganhos nesta sexta-feira, 21. Com isso, os índices europeus e o indicador futuro das bolsas norte-americanas operam em campo positivo.

Na Ásia, as bolsas chinesas encerraram o pregão em queda nesta sexta-feira, refletindo as perspectivas mais negativas para o mercado global e as preocupações com o ritmo de expansão da China. No Japão, o enfraquecimento do iene favoreceu as ações das exportadoras e sustentou a alta da bolsa de Tóquio.

Na Europa, as bolsas operam em alta nesta manhã, em dia marcado por poucas divulgações econômicas. Há pouco, o CAC-40, de Paris, registrava ganhos de 0,67%, aos 3.723 pontos. E o DAX, de Frankfurt, valorizava 0,10%, aos 7.936 pontos. E o índice FTSE-100 ganhava 0,92%, aos 6.216 pontos.

Ontem, 20, a zona do euro deu um novo passo para uma união bancária, ao alcançar um acordo de princípio sobre a recapitalização direta dos bancos pelo fundo de resgate da União Europeia, algo prometido há um ano em plena crise bancária espanhola. Reunidos em Luxemburgo os ministros das Finanças dos 17 países membros da zona do euro aprovaram as linhas gerais deste mecanismo que deve "garantir a estabilidade da zona do euro" e evitar "o contágio entre crise bancária e crise da dívida soberana", segundo os termos do presidente do Eurogrupo, Jeroen Dijsselbloem.

Em Wall Street, o indicador futuro das bolsas norte-americanas aponta para uma abertura em campo positivo.

Aqui no Brasil, o Ibovespa deverá acompanhar o cenário externo.

E abrindo a agenda de indicadores brasileiros, o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) revelou que o Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo 15 (IPCA-15), uma prévia da inflação oficial, teve variação de 0,38% em junho e ficou abaixo do IPCA-15 de maio, cuja taxa foi 0,46%. Vale ressaltar que remédios e os alimentos foram os principais responsáveis pela desaceleração.

Por fim, no mercado de câmbio, o dólar deverá apresentar valorização em relação às demais moedas mundiais.