Dólar recua nas primeiras ofertas do dia

O dólar comercial opera com perdas de 0,14% nas primeiras ofertas do dia. A moeda norte-americana era cotada a R$ 2,172 na compra e R$ 2,174 na venda.

De acordo com relatório diário da Lerosa Investimentos, após oferecer dois swaps cambiais logo pela manhã, o Banco Central mostrou ao mercado que daria liquidez à demanda por hedge e limitou a aposta em alta exagerada do dólar no dia de ontem. O movimento de procura pela moeda americana também foi sentida em outros países emergentes. Ainda é confortável a aposta de que o real não vai conseguir se valorizar no curto prazo. O cancelamento do IPO da Votorantim cimentos mostra que os mercados mostram sinais de instabilidade suficientes para limitar a oferta de recursos. O dia de hoje deve mostrar pequena variação para o câmbio até o resultado da reunião do Fed e, principalmente, com o discurso do presidente. O meio da tarde trará mais volatilidade ao mercado com investidores mundiais tentando digerir as diretrizes de como e quando o FED mudará o programa de compra de ativos.

Na Europa, o Fundo Monetário Internacional (FMI) considerou que a contração econômica na Espanha pode acabar em breve, mas expressou inquietação com o desemprego no país. "Apesar dos sinais de que a contração da economia pode terminar em breve, as perspectivas continuam sendo difíceis", destacou o FMI em um relatório sobre a quarta maior economia da Eurozona.

Aqui no Brasil, a Fundação Getulio Vargas (FGV) revelou que a prévia do Índice de Confiança da Indústria (ICI) sinaliza queda de 1,2% em relação ao resultado final de maio, na série com ajuste sazonal. A diminuição de confiança foi influenciada tanto pelas percepções sobre o presente quanto pelas expectativas em relação ao futuro próximo.