Dados norte-americanos preocupam investidores

As principais bolsas de valores mundiais apresentam movimentos distintos, com investidores avaliando dados europeus e norte-americanos divulgados nesta sexta-feira. Aqui no Brasil, o Ibovespa acompanha o mercado dos EUA e recua.

Na Ásia, as bolsas fecharam o último pregão da semana em alta, acompanhando o movimento positivo da bolsa norte-americana na seção de ontem. O crescimento das vendas no varejo em maio nos EUA favoreceu as bolsas locais.

Enquanto isso, na Europa, as bolsas caminham para um fechamento em campo positivo. Há pouco, o CAC-40, de Paris, registrava ganhos de 0,07%, aos 3.800 pontos. E o DAX, de Frankfurt, valorizava 0,43%, aos 8.130 pontos. E o índice FTSE-100 ganhava 0,03%, aos 6.306 pontos.

Na região, o Escritório Europeu de Estatísticas, Eurostat, revelou que a inflação se acelerou em maio na Eurozona a 1,4%, contra 1,2% em abril, confirmando uma primeira estimativa.Entretanto, a agência anunciou que o mercado trabalhista na zona euro continua se deteriorando com uma diminuição de 0,5% no número de empregos no primeiro trimestre de 2013 em relação ao trimestre anterior.

Em Wall Street, dados locais divulgados hoje deixaram investidores preocupados e bolsas apresentam queda. Com isso, o índice Dow Jones perdia 0,40% aos 15.115 pontos; o S&P 500 tinha desvalorização de 0,26% a 1.632 pontos; e a bolsa eletrônica Nasdaq operava com perdas de 0,42% aos 3.430 pontos.

Contribuído para o pessimismo local, o Federal Reserve (Banco Central dos EUA), publicou que a produção industrial dos Estados Unidos subiu ligeiramente em maio, mas ficou abaixo das expectativas dos analistas. A alta foi de 0,1% em relação a abril, que consideram as variações sazonais, informou o Fed em um comunicado. O número veio abaixo das estimativas de analistas que era uma alta de 0,2%.

Além disso, a Universidade de Michigan revelou que a confiança dos consumidores deve piorar nos Estados Unidos em junho. O indicador deverá recuar 1,8 pontos em relação a maio, segundo os dados preliminares da instituição, a 82,7 pontos, enquanto a média das previsões dos analistas apontava para uma alta maior, a 84,5 pontos.

Aqui no Brasil, o Ibovespa apresenta desempenho negativo em linha com o mercado norte-americano. Há pouco, o índice recuava 0,81%.

E abrindo a agenda de indicadores econômicos brasileiros, a Fundação Getulio Vargas (FGV) revelou que o Índice Geral de Preços - 10 (IGP-10) variou 0,63% em junho. A taxa apurada em maio foi de -0,09%.

Contudo, a atividade econômica registrou avançou 0,84% em abril com relação ao mês imediatamente anterior, na série dessazonalizada, de acordo com informações divulgadas através do Índice de Atividade Econômica do Banco Central (IBC-Br).

Na renda fixa, os juros futuros operam em alta. Instantes atrás, o contrato de DI, com vencimento em janeiro de 2015, o mais negociado, apresentava taxa anual de 9,47%.

Já o dólar opera com perdas de 0,09%. Há pouco, a moeda era vendida a R$ 2,140.