Dólar reage à eventual redução da nota do Brasil e fecha em queda  

Depois do recuo registrado ontem, o dólar comercial fecha a sexta-feira, 7, em alta com a possibilidade de nota de crédito do Brasil ser rebaixada. Com isso, a moeda norte-americana desvalorizou 0,47%, cotada a R$ 2,120 na compra e R$ 2,122 na venda.

A agência de classificação de risco Standard&Poor's diminuiu, de neutra para negativa, a perspectiva de nota para a economia brasileira. A avaliação sobre a dívida do país não foi alterada, mas a agência americana indicou que poderá reduzir a nota nos próximos comunicados. Segundo o documento da agência, o baixo crescimento da economia e a redução do esforço fiscal pela equipe econômica podem representar sinais de que o país não conseguirá permanecer reduzindo a dívida pública em relação ao Produto Interno Bruto (PIB).

Em análise, o economista Sidnei Moura, da NGO Assessoria Financeira destaca que o contexto do “status” da economia do Brasil predomina com peso maior na formação do preço no mercado local. “Não rigorosamente alinhado ao comportamento externo, mesmo com a desintervenção promovida pelo governo retirando o IOF de 6% sobre os ingressos direcionados para renda fixa que tem poder de afetar as perspectivas sobre os fluxos de recursos para o país”, disse. “A Agência Standard & Poors colocou em foco uma eventual redução da nota do Brasil, e a mídia escrita, por um dos seus mais importantes formadores de opinião, a revista The Ecomonist londrina, volta a criticar a gestão do nosso governo na economia, até com uma certa ironia, digamos, desrespeitosa na forma posta”, destaca Moura.