Quarta semana de março teve superávit de US$ 211 milhões

A quarta semana de março, com cinco dias úteis (18 a 24), teve saldo positivo na balança comercial brasileira de US$ 211 milhões, com média diária de US$ 42,2 milhões. A corrente de comércio (soma das exportações e importações) foi de US$ 9,553 bilhões, com resultado por dia útil de US$ 1,910 bilhão.

As exportações, no período, foram de US$ 4,882 bilhões, com média diária de US$ 976,4 milhões, que é 8,6% acima da média de US$ 899 milhões acumulada até a terceira semana de março. Houve crescimento nas vendas de produtos básicos (20,1%), por conta, principalmente, de minério de ferro, petróleo em bruto, soja em grão, carne de frango e milho em grão. Para os manufaturados (1,7%), o aumento foi devido em razão, especialmente, de automóveis de passageiros, hidrocarbonetos, máquinas para terraplanagem, torneiras e válvulas, suco de laranja não congelado, e veículos de carga. Por outro lado decresceram as vendas de semimanufaturados (-5,1%), com declínio nos embarques de açúcar em bruto, celulose, couros e peles, ouro em forma semimanufaturada, e ferro-ligas.

Na quarta semana de março, as importações foram de US$ 4,671 bilhões, com resultado médio diário de US$ 934,2 milhões. Na comparação com a média até a terceira semana do mês (US$ 918,3 milhões), houve crescimento de 1,7%, explicado, principalmente, pelo aumento nos gastos com equipamentos mecânicos, aparelhos eletroeletrônicos, veículos automóveis e partes, e adubos e fertilizantes.

Mês

Nos 16 dias úteis de março, as exportações somaram US$ 14,771 bilhões, com média diária de US$ 923,2 milhões, resultado 2,9% menor que o registrado em março do ano passado (US$ 950,5 milhões). Houve queda nas vendas de produtos básicos (-3,7%), motivadas, especialmente, por petróleo em bruto, algodão em bruto, farelo de soja, fumo em folhas e café em grão. Entre os manufaturados (-8,5%), a retração foi maior para máquinas para terraplanagem, aviões, óleos combustíveis, partes de motores para veículos, e motores e geradores. Já as exportações de semimanufaturados (18,4%) cresceram, com elevação dos embarques de catodos de cobre, açúcar em bruto, ferro fundido, couros e peles, celulose, e alumínio em bruto.

Em relação à média diária de fevereiro deste ano (US$ 863,8 milhões), as exportações tiveram aumento de 6,9%, com alta nas vendas de produtos básicos (13,2%) e semimanufaturados (9,4%), enquanto que diminuíram os embarques de manufaturados (-2%).

As importações em março chegam a US$ 14,772 bilhões e registraram média diária de US$ 923,3 milhões. Houve aumento de 7,5% na comparação com a média de março do ano passado (US$ 858,7 milhões). Neste comparativo, verificou-se crescimento nas despesas com adubos e fertilizantes (72%), cereais e produtos de moagem (37%), plásticos e obras (14,8%), aparelhos eletroeletrônicos (14,5%), e instrumentos de ótica e precisão (9,9%).

Na comparação com a média de fevereiro de 2013 (US$ 934,8 milhões), houve recuo de 1,2%, devido a aquisições menores de combustíveis e lubrificantes (-21,4%), químicos orgânicos e inorgânicos (-14,4%), equipamentos mecânicos (-5,8%), plásticos e obras (-1,5%), e instrumentos de ótica e precisão (-1%).

O superávit em março está negativo em US$ 1 milhão (média diária negativa de US$ 0,1 milhão). O saldo em março do ano passado foi positivo em US$ 2,020, com desempenho médio diário de US$ 91,8 milhões.

A corrente de comércio mensal alcança US$ 29,543 bilhões (resultado diário de US$ 1,846 bilhão). Pela média, houve alta de 2,1% no comparativo com março do ano passado (US$ 1,809 bilhão) e aumento de 2,7% na relação com fevereiro último (US$ 1,798 bilhão).

Ano

De janeiro à quarta semana de março deste ano (56 dias úteis), as vendas ao exterior totalizaram US$ 46,287 bilhões (média diária de US$ 826,6 milhões). Na comparação com o desempenho diário do período correspondente de 2012 (US$ 869,8 milhões), as exportações caíram 5%. As importações foram de US$ 51,602 bilhões, com resultado médio diário de US$ 921,5 milhões. O valor está 9,2% acima da média registrada no período equivalente de 2012 (US$ 843,9 milhões).

No acumulado do ano, há déficit na balança comercial de US$ 5,315 bilhões, com o resultado médio diário negativo de US$ 94,9 milhões. Nos primeiros 58 dias úteis de 2012, o superávit foi de US$ 1,499 bilhão, com média de US$ 25,8 milhões. A corrente de comércio em 2013 é de 51,602 bilhões (média de US$ 921,5 milhões). Há aumento de 2% em relação à média registrada até a quarta semana de março de 2012 (US$ 1,713 bilhão).