Chipre e troika não chegam a acordo; negociações continuam neste domingo

Na reunião deste sábado para discutir medidas contra a crise no Chipre, a troika (Comissão Europeia, Banco Central Europeu e FMI) e a ilha do Mediterrâneo não chegaram a um acordo. Novas exigências impostas pelo Fundo Monetário Internacional causaram entraves e um novo encontro será realizado neste domingo, em Bruxelas.

"As negociações estão em um momento muito delicado. A situação é muito difícil e as margens muito pequenas", afirmou em comunicado o porta-voz do governo do Chipre, Christos Stylianidis.

O Chipre precisa levantar 5,8 bilhões de euros em troca de um resgate de 10 bilhões de euros da UE para manter a economia do país em funcionamento.

>> Chipre aprova medidas para receber ajuda financeira internacional

>> Resgate ao Chipre pode ser um perigoso precedente

O FMI teria pedido que o Banco do Chipre assumisse a dívida do Laiki Bank com o mecanismo de Assistência de Liquidez de Emergência (ELA, sigla em inglês) do BCE, no valor de 9 bilhões de euros.