Bolsas europeias fecham no vermelho influenciadas por Itália

As principais bolsas europeias fecharam a sessão desta terça-feira, 26, em forte queda, arrastadas pelos resultados das eleições italianas, que preveem um período de forte turbulência diante da falta de maioria para formar governo. Com isso, o CAC-40, de Paris, registrou perdas de 2,67%, aos 3.621 pontos. E o DAX, de Frankfurt, desvalorizou 2,27%, aos 7.597 pontos. E o índice FTSE-100, de Londres, apresentou baixa de 1,34% aos 6.270 pontos.

Os inesperados resultados das eleições legislativas na Itália ameaçam a governabilidade do país, com um Parlamento sem maioria definida e dependente do irreverente líder anti-sistema Bepe Grillo. A coalizão de esquerda, liderada por Pier Luigi Bersani, obteve 29,55% de votos, contra 29,18% para a aliança de direita do ex-premier Silvio Berlusconi, mas devido à legislação eleitoral italiana, o ganhador ficará com 340 das 630 cadeiras da Câmara de Deputados, segundo o ministério do Interior.

Diante deste cenário, o ministro alemão das Relações Exteriores, Guido Westerwelle, estimulou nesta terça-feira, a Itália a formar rapidamente um governo estável para prosseguir com a política de reformas do país, "no interesse de toda Europa".

Por lá, o ex-primeiro-ministro da Itália, Silvio Berlusconi, pediu hoje (26) que os partidos políticos se sacrifiquem para que o governo tenha condições de administrar o país. A Itália sofre as consequências da crise econômica internacional e, por isso, o futuro governo do país terá de adotar medidas de contenção que poderão desagradar à população.