Investidores devem manter foco nos EUA nesta terça-feira

As principais bolsas de valores mundiais devem apresentar certa volatilidade, com as atenções dos investidores voltadas aos Estados Unidos, onde os membros do Federal Open Market Committee (Fomc) dão início a uma reunião de dois dias. Diante deste cenário, os índices europeus e o indicador futuro das bolsas norte-americanas operam em direções opostas.

Por outro lado, as principais bolsas asiáticas fecharam em terreno positivo nesta terça-feira, com destaque para o avanço no setor financeiro, em meio a maior otimismo com a economia chinesa. Vale mencionar ainda que o Banco Central da Índia cortou juros pela primeira vez desde abril, após sinais de moderação na inflação no país. A Bolsa de Tóquio encerrou a sessão de terça-feira em alta de 0,39%. O índice Nikkei 225 ganhou 42,41 pontos, a 10.866,72 unidades.

Contudo, as bolsas europeias operam nesta manhã em queda. Há pouco, o CAC-40, de Paris, registrava perdas de 0,39%, aos 3.765 pontos. E o DAX, de Frankfurt, desvalorizava 0,20%, aos 7.817 pontos. E o índice FTSE-100, de Londres, operava com baixa de 0,05% aos 6.291 pontos.

Por lá, foi divulgado que a confiança do consumidor da Alemanha deve subir em fevereiro. O índice de confiança do consumidor na Alemanha deve subir para 5,8 pontos em fevereiro, segundo o grupo de pesquisa de mercado GFK. O índice tinha marcado 5,7 em janeiro segundo dados revisados. Diante deste cenário, o índice veio acima do esperado por analistas que era uma variação de 5,7 pontos.

Em Wall Street, o indicador futuro das bolsas norte-americanas aponta para uma abertura em diferentes direções.

Por aqui, o Ibovespa, deverá seguir em linha com o mercado externo.

Abrindo a agenda de indicadores brasileiros, o Índice de Confiança da Indústria (ICI) da Fundação Getulio Vargas manteve-se praticamente estável entre dezembro e janeiro ao passar de 106,4 para 106,5 pontos, o maior nível desde junho de 2011 (107,1 pontos).

Por fim, no mercado de câmbio, a maior parte das moedas negociadas devem exibir apreciação em relação ao dólar.