Queda nos papéis da Oi ajuda Ibovespa a encerrar no vermelho

Ibovespa encerra em baixa, puxada pela forte queda nas ações da companhia de telefonia Oi, motivada pela troca de diretor presidente do grupo. Com isso, o pregão nacional registrou desvalorização de 0,34%, aos 61.692 pontos. O giro financeiro ficou em R$ 6.297 bilhões. 

Na Ásia, as bolsas encerraram em direções opostas, com analistas assimilando os dados da região. A Bolsa de Tóquio fechou em queda de 0,35%. O índice Nikkei dos principais valores cedeu 37,81 pontos, a 10.709,93 pontos.

O Banco Central do Japão (BoJ) anunciou que irá manter a taxa de juros inalterada entre 0 e 0,1%, e implementará uma meta de inflação de 2%, além de ampliar a política de afrouxamento monetário, em linha com o que o governo japonês já vinha sinalizando, especialmente depois de comentários feitos pelo primeiro ministro Shinzo Abe.

No Velho Continente as principais bolsas finalizaram a sessão em queda, em dia de reunião sobre a recapitalização bancária na Europa. Com isso, o CAC-40, de Paris, registrou perdas de 0,59%, aos 3.741 pontos. E o DAX, de Frankfurt, desvalorizou 0,68%, aos 7.696 pontos. E o índice FTSE-100, de Londres, finalizou com perdas de 0,03% aos 6.179 pontos.

Na agenda europeia, destaque para o Índice ZEW de sentimento econômico alemão que acelerou em janeiro ao atingir 31,5 pontos, passando dos 6,9 registrados em dezembro, segundo revelou hoje, 22, o Instituto de pesquisas Zentrum für Europaische Wirtschaftsforschung (Zew). Já o mesmo índice sobre as expectativas de evolução da conjuntura da Zona do Euro atingiu os 31,2 pontos em janeiro.

E, segundo o relatório da Comissão Europeia (CE) divulgado nesta terça-feira, a Espanha provavelmente não cumprirá sua meta de déficit fixada para 2012, de 6,3%. Hoje o país captou € 2,785 bilhões a curto prazo com uma taxa de juros em forte queda em relação ao mês de dezembro, em um mercado tranquilo desde o início do ano.

Já em Wall Street as bolsas operam em alta, mesmo com uma agenda econômica duvidosa na região. Há pouco, o índice Dow Jones ganhava 0,26% aos 13.685 pontos; o S&P 500 tinha valorização de 0,24% a 1.489 pontos; e a bolsa eletrônica Nasdaq apresentava estabilidade aos 0,00% aos 3.134 pontos.

A agenda não trouxe números favoráveis, o que elevou a oferta do dólar. As vendas de casas usadas caíram 1,0% em dezembro nos Estados Unidos, após ter registrado forte alta em novembro, segundo dados publicados nesta terça-feira pela Associação Nacional de Agentes Imobiliários (NAR).

Já o índice de atividade industrial do Federal Reserve de Richmond marcou – 12 pontos em janeiro, um forte declínio se comparado a dezembro de 2012 que marcou 5 pontos positivos, anunciou a instituição nesta terça-feira.

Por fim, esteve O índice nacional de atividade dos Estados Unidos, divulgado pelo Federal Reserve de Chicago, que caiu para 0,02 em dezembro, se comparado a medição de novembro que apontou 0,27. A leitura abaixo de zero indica contração da atividade industrial, acima, expansão. 

Por aqui o Ibovespa encerrou em queda, motivado pela desvalorização dos papéis da Oi, que anunciou a entrada de José Mauro Mettrau para ocupar o cargo de diretor presidente do grupo, substituindo Francisco Valim. 

Abrindo a agenda de indicadores econômicos, na prévia de janeiro de 2013, o Índice de Confiança da Indústria (ICI) ficou relativamente estável ao passar para 106,6 pontos, uma variação de apenas 0,2% em relação ao resultado final de dezembro, segundo dados da Fundação Getulio Vargas (FGV). Com o resultado, o ICI alcançaria o maior patamar desde junho de 2011 (107,1 pontos), mantendo-se acima da média histórica recente.

Entre as oscilações positivas em destaque na sessão estão os papéis da ELETROBRAS (PNB) que avançavam 6,59% e a ELETROBRAS (ON) que apresentavam alta de 5,19%. Em contrapartida, entre os destaques negativos, estão os papéis da OI (PN), que recuavam 7,47% e a OI (ON) que apresentavam revés de 6,12%.