Inflação da baixa renda avança no último mês de 2012 e acumula alta de 6,90%

O Índice de Preços ao Consumidor - Classe 1 (IPC-C1) do mês de dezembro, a chamada inflação da baixa renda,  apresentou variação de 0,76%. Com este resultado, o indicador acumula alta de 6,90%, nos últimos 12 meses, segundo a Fundação Getulio Vargas (FGV).

Em dezembro, o IPC-BR registrou variação de 0,66%. A taxa do indicador nos últimos 12 meses ficou em 5,74%, nível abaixo do registrado pelo IPC-C1.

Três das oito classes de despesa componentes do índice apresentaram acréscimo em suas taxas de variação:

- Alimentação (0,47% para 1,40%);

- Transportes (0,01% para 0,34%); e 

- Despesas Diversas (0,39% para 1,50%).

Nestes grupos, os destaques partiram dos itens: hortaliças e legumes (-9,39% para 3,53%), tarifa de táxi (0,00% para 11,27%) e cigarros (0,49% para 3,18%), respectivamente.

Em contrapartida, apresentaram decréscimo em suas taxas de variação os grupos:

- Habitação (0,53% para 0,42%);

- Vestuário (1,05% para 0,90%);

- Comunicação (0,25% para 0,03%);

- Saúde e Cuidados Pessoais (0,43% para 0,42%); e 

- Educação, Leitura e Recreação (0,36% para 0,35%).

Nestas classes de despesa, as principais influências partiram dos itens: tarifa de eletricidade residencial (1,27% para 0,72%), calçados (0,85% para -0,01%), tarifa de telefone móvel (0,81% para 0,07%), medicamentos em geral (0,21% para 0,05%) e passagem aérea (8,88% para 5,59%), nesta ordem.