Gasto com domésticos é o item com maior impacto na inflação em 2012

O custo dos empregados domésticos, que teve um aumento de 12,73% no ano passado, foi o item que teve o maior impacto na inflação oficial, medida pelo Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA), em 2012. Além disso, a inflação desse tipo de serviço foi duas vezes maior do que o IPCA no ano, que atingiu 5,84%, segundo dados divulgados hoje (10) pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).

De acordo com a coordenadora de Índices de Preços do IBGE, Eulina dos Santos, o aumento do custo dos empregados domésticos é motivado, pelo menos em parte, pela ampliação das oportunidades no mercado de trabalho brasileiro, que tem levado uma parcela desses trabalhadores a procurar outros empregos.

“O [custo do] empregado doméstico vem aumentando nos últimos anos. Com a alternativa de outros empregos, os empregados domésticos têm ficado cada dia mais escassos. E, com o salário mínimo aumentando acima da inflação, os salários têm sido pressionados”, disse.

Outros itens que tiveram grande impacto na inflação em 2012 foram a refeição fora de casa, com alta de preços de 8,59%, o aluguel residencial (8,95%), planos de saúde (7,79%), cursos regulares (8,35%), cigarro (25,48%), lanches (11,23%), arroz (36,67%), mão de obra (11,57%) e passagem aérea (26%).

Entre os grupos de despesas, os alimentos tiveram o principal impacto na inflação, com uma alta de preços de 9,86%. Em seguida, vêm despesas pessoais (10,17%), habitação (6,79%), saúde e cuidados pessoais (5,95%), vestuário (5,79%) e educação (7,78%). Com impactos menores na inflação, aparecem os grupos de transportes (0,48%), comunicação (0,77%) e artigos de residência (0,84%).

O principal impulso na inflação de 2012 aconteceu no último trimestre do ano, quando foi acumulada uma alta de preços de 1,99% nos três meses.