Obama diz que acordo sobre abismo fiscal está próximo

O presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, afirmou nesta segunda-feira que um acordo sobre o abismo fiscal - o conjunto de aumento de impostos e cortes de gastos que entra em vigor automaticamente a partir de 1º de janeiro - ainda não foi alcançado no Congresso, mas está "a caminho".

Obama culpou os republicanos pelo impasse e voltou a dizer que querem proteger as reduções de impostos para os mais ricos. "Nas próximas 48 horas minha esperança é que se reconheça, a despeito de diferenças partidárias, que nossa prioridade deve ser assegurar que os impostos pagos pela classe média não subam", disse Obama em entrevista transmitida pela TV americana na manhã deste domingo

Obama acredita que o problema deve ser solucionado em etapas, para impedir uma desaceleração da economia americana, que se recupera da crise.

O presidente americano pediu ainda que toda a população dos EUA se mantenha "focada" no que está sendo costurado no Congresso e que continue pressionando o Legislativo do país por uma tentativa de consenso.

A poucas horas do prazo final, os líderes do Congresso americano ainda estão lançando seus últimos esforços para tentar chegar a um acordo para evitar que os EUA caiam no chamado "abismo fiscal".

Analistas afirmam que, caso não seja evitado, o abismo fiscal poderá levar os EUA de volta à recessão, com efeitos negativos para a economia mundial.