Decisão do Fed deve influenciar pregão nesta quarta-feira

As principais bolsas de valores mundiais devem apresentar movimentos diversos, com investidores avaliando o resultado da reunião do Federal Reserve. Além disso, os ministros de Finanças da União Europeia se reúnem nesta quarta-feira. Diante deste cenário, os índices europeus e o indicador futuro das bolsas norte-americanas operam em direções opostas.

Na Ásia, as bolsas encerraram o pregão em alta, em meio a especulações sobre nova expansão do programa de compra de ativos por parte do Fed norte-americano, que comenta na tarde de hoje suas decisões de política monetária após dois dias de reunião. Com isso, a Bolsa de Tóquio encerrou a sessão de quarta-feira em alta de 0,59%. O índice Nikkei ganhou 56,14 pontos, a 9.581,46 unidades.

Na Europa, as bolsas operam em direções opostas. Há pouco, o CAC-40, de Paris, registrava perdas de 0,08%, aos 3.643 pontos. E o DAX, de Frankfurt, valorizava 0,30%, aos 7.612 pontos. E o índice FTSE-100, de Londres, apresentava alta de 0,26% aos 5.940 pontos.

No Velho Continente, foi divulgado que a produção industrial da Zona do Euro caiu 1,4% em outubro se comparado com setembro de 2012, segundo a agência de estatísticas da região, a Eurostat. Na União Europeia o recuou foi de 1,0%. O número veio abaixo do esperado por analistas que era 0,2%.

No mesmo sentido, a taxa de desemprego britânico nos três meses até outubro ficou em 7,8% da população economicamente ativa. As informações foram divulgadas hoje pelo ONS, o Escritório de Estatísticas Nacionais.

Entre os dados da agenda, o Índice de Preços ao Consumidor (IPC, ou CPI na sigla em inglês) da Alemanha avançou 1,9% em novembro se comparado com o mesmo período do ano passado, mas recuou 0,1% em relação ao mês de outubro de 2012, informou o departamento federal de estatísticas, Destatis.

Em Wall Street, o indicador futuro das bolsas norte-americanas aponta para uma abertura em direções opostas. Mas, investidores aguardam a divulgação do índice de preços de produtos importados e a publicação do relatório mensal de orçamento de novembro. Além disso, o Banco Central anuncia decisão de Política Monetária.

Por aqui, o Ibovespa, deverá acompanhar o cenário externo.

Abrindo a agenda de indicadores brasileiros, o Indicador Serasa Experian de Inadimplência do Consumidor apresentou queda de 0,1% em novembro de 2012, na comparação com o mês imediatamente anterior. Na relação anual - novembro deste ano contra o mesmo mês do ano anterior -, a inadimplência do consumidor registrou crescimento de 13,0%. No acumulado do ano - janeiro a novembro de 2012 frente ao mesmo período de 2011 - a inadimplência do consumidor cresceu 15,1%.

Por fim, no mercado de câmbio, as principais moedas mundiais devem se valorizar em relação ao dólar.