PIB deve chegar a R$ 4,8 tri em 2013, afirma FecomercioSP

A economia brasileira deve fechar 2013 com o Produto Interno Bruto (PIB) de R$ 4,8 trilhões, com crescimento de 4%. A estimativa é da Federação do Comércio de Bens, Serviços e Turismo do Estado de São Paulo (FecomercioSP), que projeta para 2013 um bom desempenho para o país, sobretudo no comércio, uma vez que o setor pode ultrapassar pela primeira vez R$ 1,5 trilhão em vendas.

Porém, a Assessoria Técnica da FecomercioSP, chama a atenção para a inflação, que deve encerrar 2012 acima do esperado. A projeção do Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA), principal medidor da inflação do país, era de 5% para este ano. No entanto, a inflação oficial pode ficar em 5,5%. Apesar de parecer pequena, a diferença não é desprezível, uma vez que representa 10% a mais de inflação sobre o previsto e um ponto porcentual acima do centro da meta que é 4,5%. 

A redução da Selic para 7,25% foi benéfica por obrigar o setor financeiro a rever suas taxas de juros com os consumidores e as empresas. No entanto a redução de juros acabou por dificultar o controle inflacionário ao longo de 2012. E a Selic não deve cair mais no curto prazo.

A FecomercioSP estima que, em 2013, o PIB brasileiro pode apresentar bons resultados, dependendo de como o setor privado reagirá aos estímulos deste ano, como a redução de juros e o desenrolar da crise europeia. Já a inflação deverá ficar acima da meta, o que exigirá mais esforços do Banco Central (BC) para trazer a inflação ao patamar esperado. A Federação acredita que a Selic ainda pode subir para 8,5% por causa da resistência inflacionária, além da pressão dos preços dos combustíveis prevista para o próximo ano.

Para a Assessoria Técnica da FecomercioSP, partindo-se da premissa de poucas alterações no cenário econômico interno e externo, o comércio brasileiro pode ultrapassar pela primeira vez a barreira de R$ 1,5 trilhão em vendas. Caso seja confirmado, o montante pode ser 6% superior ao de 2012, já descontada a inflação. No estado de São Paulo, o comércio deve movimentar R$ 475 bilhões, sendo a região metropolitana responsável por R$ 181,1 bilhões desse montante.

Em 2013, a FecomercioSP projeta que serão gerados de 1 milhão a 1,5 milhão de postos de trabalho, número próximo ao necessário para uma incorporação total do aumento da População Economicamente Ativa (PEA). Com isso, a taxa medida de desemprego no ano que vem deve ser praticamente a mesma deste ano, em torno de 5,5%, considerado o menor valor histórico. Como a expectativa para o emprego é positiva, apesar de mais modesta, a tendência do consumo das famílias é de crescimento no próximo ano, podendo expandir-se em 5% no país e 3% em São Paulo.