Economia informal movimenta R$ 748 bi e responde por 16,9% do PIB

Em 2012, a economia informal já movimenta R$ 748 bilhões e responde por 16,9% do Produto Interno Bruto (PIB), segundo dados divulgados nesta terça-feira pelo Instituto Brasileiro de Ética Concorrencial (ETCO) em conjunto com o Instituto Brasileiro de Economia da Fundação Getúlio Vargas (IBRE/FGV). A pesquisa ainda revelou que depois de cinco anos em queda, o Índice de Economia Subterrânea (IES) permanece na casa dos 17%, em função do limite atingido pelo crescimento do emprego formal.

De acordo com o pesquisador do IBRE/FGV, responsável pela elaboração do IES, Fernando de Holanda Barbosa Filho, exceto 2009 - ano atípico para a economia em razão da crise mundial -, desde 2007 o IES brasileiro apresentava quedas de 0,7 ponto percentual, indo de 20,2% em 2006 para 17% em 2011. 

"Em grande parte, essa queda se explica pelo importante aumento do mercado de trabalho formal observado nos últimos anos e que é uma consequência da boa performance da economia brasileira no período, mesmo durante a crise de 2009", analisa.

Ainda segundo o especialista, o crescimento do mercado formal de trabalho atingiu seu limite e aponta dois grandes fatores como obstáculo à continuidade dessa evolução. Um deles é a rigidez das leis trabalhistas. O outro é o nível de escolaridade do brasileiro. "Segundo a Pnad, entre 2002 e 2011, a informalidade no mercado de trabalho caiu 10 ponto porcentual, saindo de 43% para 32% do total da população empregada. O acréscimo dos 22 milhões de pessoas que se educaram entre 2001 e 2011, responde por 64% dessa queda", ressalta o pesquisador.