Eurogrupo tenta novo acordo para dívida da Grécia

Os ministros das Finanças dos 17 países que formam a zona do euro, a direção do Banco Central Europeu (BCE) e do Fundo Monetário Internacional (FMI) reúnem-se hoje (26) em Bruxelas, na Bélgica, em busca de um acordo sobre a ajuda financeira à Grécia. É a terceira semana consecutiva de reuniões. O chamado Eurogrupo tenta firmar acordo para a concessão de um empréstimo à Grécia, no valor de 31,2 bilhões de euros.

Autoridades gregas informaram que o governo cumpriu  sua parte ao implementar um novo pacote de austeridade e reformas exigido pelos credores. Mas as autoridades esperam que parte do repasse, suspenso em junho, seja liberada para a redução da dívida.

A Grécia está no grupo de países, formado também pela Espanha, por Portugal e pela Itália, que mais sofreu com os impactos da crise econômica internacional. As exigências feitas pelo Eurogrupo foram seguidas à risca pelas autoridades e combatidas pela população. Manifestações ocorreram com frequência nesses países.

No dia 20, houve uma reunião que durou 11 horas, com a presença de integrantes do Eurogrupo, mas não houve acordo. Uma alternativa, segundo os negociadores, é um novo perdão parcial da dívida,  que pode ser concretizado em 2015.

Um novo perdão implica, na prática, que os credores renunciem a aproximadamente 50% do total relativo à dívida. Também está em discussão o adiamento do prazo para a Grécia corrigir o seu déficit, passando de 2014 para 2016. Segundo os credores, se for concedido o novo prazo, a Grécia precisará de mais 32,6 bilhões de euros para os financiamentos.