Bolsas europeias caem à espera do BCE 

As principais bolsas de valores europeias finalizaram a sessão em queda diante de investidores preocupados com o futuro da Europa. Com isso, o CAC-40, de Paris, fechou com perdas de 1,58%, aos 3.399 pontos. E o DAX, de Frankfurt, desvalorizou 1,05%, aos 6.940 pontos. E o índice FTSE-100, de Londres, teve queda de 1,41% aos 5.677 pontos.

Pressionando os mercados globais, a notícia divulgada ontem, 03, que a agência classificadora Moody's reduziu de estável para negativa a perspectiva da nota que atribui à União Europeia (UE), alegando que ela se alinha com a queda das perspectivas de importantes países-membros, como Alemanha e França. Segundo a Moody's, a agência poderá baixar a nota da UE no médio prazo, apesar de que no curto prazo a mantém em "AAA", ou seja, a mais alta de sua classificação.

Mas, os investidores também aguardam a reunião de política monetária do Banco Central Europeu (BCE) e o pronunciamento do presidente, Mario Draghi, na próxima quinta-feira, 06.

Além disso, sinalizações de que o presidente do Banco Central Europeu, Mario Draghi, estaria disposto a comprar papéis de dívida soberana de países com dificuldades na região interfere no pregão. Alinhados com essa especulação, os yields de títulos italianos e espanhóis observam queda nesta manhã.

Por lá, a Grécia emitiu nesta terça-feira € 1,137 bilhão em títulos do Tesouro a seis meses, com uma taxa de juros em leve baixa, a 4,54%, anunciou a Agência Grega de Gestão da Dívida Pública (PDMA).

Na agenda, foi divulgado que o índice de preços ao produtor (PPI, na sigla em inglês) registrou alta de 0,4% no mês de julho tanto na zona do euro quanto na União Europeia, se comparado com os valores apresentados em junho de 2012, segundo informações divulgadas hoje pelo Eurostat, o escritório estatístico europeu.

Para finalizar, o desemprego registrou alta no mês de agosto na Espanha com 4,63 milhões de desempregados, depois de quatro meses consecutivos de baixa, anunciou o ministério do Emprego. O número de desempregados aumentou em 38.179 pessoas (+0,83%) na comparação com julho. Em relação a agosto de 2011, a alta foi de 494.707 pessoas (11,98%).