Gastos com despesas pessoais sobem e pressionam inflação em São Paulo 

São Paulo - Depois de três decréscimos seguidos, o Índice de Preços ao Consumidor (IPC), medido pela Fundação Instituto de Pesquisas Econômicas (Fipe) na capital paulista, aumentou de 0,16% para 0,21%, na segunda apuração deste mês, referente ao período de 16 de julho a 16 de agosto, comparado aos 30 dias imediatamente anteriores.

O maior impacto partiu do grupo despesas pessoais, cuja taxa ficou em 0,76% ante 0,52%. Ficaram mais caros os ingressos nos estádios de futebol, nas salas de cinema e as contratações para excursões. Este último serviço inclui o reajuste dos bilhetes aéreos e rodoviários. O grupo alimentação também colaborou para o aumento do IPC, ao atingir 0,37% ante 0,34%.

Já os grupos habitação, educação e transportes apresentaram as mesmas variações da pesquisa anterior, com taxas de 0,16%, -0,32% e 0,26%, respectivamente. Em saúde, o IPC teve decréscimo, passando de 0,54% para 0,41%.

Em vestuário, foi constatada variação negativa de 0,02%, sob a influência do fim das liquidações da moda outono/inverno. Na pesquisa passada, a queda da taxa nesse grupo havia sido bem mais expressiva (-0,33%).