PIB da Alemanha e França animam investidores e bolsas sobem 

As principais bolsas de valores mundiais devem apresentar ganhos no pregão desta terça-feira influenciadas pelos resultados positivos do PIB da Alemanha e França. Além disso, a agenda repleta de indicadores deve entusiasmar os investidores. Enquanto isso, as bolsas europeias apresentam avanços e o indicador futuro das bolsas norte-americanas aponta para uma abertura positiva.

Na Ásia, as bolsas fecharam em alta, após divulgação da ata do Banco Central do Japão, na qual se revela disposição em adotar medidas adicionais de estímulo. Com isso, a bolsa de Tóquio encerrou a sessão de terça-feira em alta de 0,50%. O índice Nikkei ganhou 44,73 pontos, a 8.929,88 unidades.

Já na Europa, as bolsas operam em alta com investidores avaliando as prévias dos PIBs regionais, que mostraram uma atividade econômica ainda fraca no segundo trimestre, porém ligeiramente acima do esperado no caso de Alemanha e França.

Com isso, em Londres, o índice FTSE 100 opera com ganhos de 0,39% aos 5.854 pontos, o DAX, em Frankfurt, apresenta ganhos de 0,85% aos 6.968 pontos; e em Paris, o índice CAC-40 valoriza 0,33% aos 3.437 pontos.

Por lá, a economia alemã, a maior da Eurozona, cresceu 0,3% no segundo trimestre de 2012, um décimo acima do previsto pelos analistas, mas sem evitar uma desaceleração do 0,5% do trimestre anterior, segundo dados oficiais divulgados nesta terça-feira. E a França tem crescimento nulo no 2º trimestre, anunciou o Instituto Nacional de Estatísticas (INSEE) em uma primeira estimativa para o período.

Em contrapartida, a economia da Eurozona registrou contração de 0,2% no segundo trimestre, anunciou a agência de estatísticas europeia Eurostat, que confirmou a recessão na Espanha (-0,4%), mas destacou dados melhores que o previsto de Alemanha e França.

Em meio aos dados da agenda europeia, o Escritório Nacional de Estatísticas (ONS) divulgou que em julho, o Índice dos Preços ao Consumidor (IPC) de Reino Unido apontou alta de 2,6% em comparação com o mês anterior que obteve alta de 2,4%.

Contudo, a produção industrial nos 16 países que compõem a zona do euro registrou queda de 0,6% em junho se comparado com o mês de maio, segundo informações divulgadas hoje, 14, pelo Escritório de Estatística da região, National Statistcs.

Além disso, vale destacar que a dívida dos bancos da Espanha com o Banco Central Europeu (BCE) voltou a bater recorde histórico em julho, chegando a € 375,549 bilhões, de acordo com dados do Banco da Espanha.

Ainda no ambiente europeu, a Grécia captou nesta terça-feira € 4,063 bilhões em uma emissão de títulos do Tesouro a três meses, mas com juros em alta, informou a Agência de Gestão da Dívida Pública (PDMA).

Em Wall Street, o indicador futuro das bolsas norte-americanas também mostra alta. Por lá, investidores aguardam um dado positivo para as vendas no varejo nos EUA, a ser divulgado ainda nesta manhã.

Por aqui, o Ibovespa, deverá apresentar ganhos em linha com o cenário internacional.

Sem uma agenda econômica de destaque, os dados corporativos ganham destaque cenário brasileiro.  Com isso, o Banco do Brasil, no segundo trimestre de 2012 obteve um lucro líquido de R$ 3.008 milhões, apresentando um crescimento de 20,2% em comparação ao trimestre anterior e RSPL de 21,4%.

E os investidores ainda aguardam as divulgações financeiras das seguintes empresas: ALL, Cyrella, BR Foods, LLX e Gol, todas a serem divulgadas durante o pregão.

Para finalizar, no mercado de câmbio, as principais moedas mundiais devem se valorizar em relação ao dólar.