Bolsas europeias fecham mistas com dados desanimadores 

As bolsas europeias finalizam a sessão em direções opostas diante de dados desanimados da agenda. Além disso, os investidores aguardam alguma sinalização do Banco Central Europeu (BCE) para conter a crise na Europa. Com isso, em Londres, o índice FTSE 100 fechou com ganhos de 0,08%, aos 5.845 pontos; o DAX, em Frankfurt, teve queda de 0,03%, aos 6.966 pontos; e em Paris, o índice CAC-40 desvalorizou 0,43%, aos 3.438 pontos.

Indicadores fracos na Alemanha, o corte nas projeções do Banco da Inglaterra para o crescimento da economia britânica e resultados fracos das companhias no segundo trimestre influenciaram o movimento das bolsas europeias.

Por lá, os investidores avaliaram os indicadores ruins da região. Contribuindo para o sentimento pessimista, o Ministério da Economia da Alemanha divulgou que em junho, a produção industrial alemã registrou desaceleração. O índice, que mede a produção da indústria, recuou 0,9% no sexto mês do ano em relação ao mês anterior que apresentou alta de 1,7%.

Além disso, o saldo comercial da Alemanha finalizou o mês de junho com um superávit de € 17,9 bilhões, ante os € 12,5 bilhões registrados no mesmo período do ano passado, segundo dados divulgados hoje, 08, pelo instituto federal de estatísticas Destatis.

Lá fora, o anúncio de que o Banco da Inglaterra reduz a previsão de crescimento para 2012 mantém os investidores cautelosos.  O Banco considera que as perspectivas de crescimento da economia britânica no curto prazo são agora "mais fracas" do que em maio, indicou nesta quarta-feira seu governador Mervyn King na apresentação do relatório trimestral da instituição sobre a economia. Neste relatório, o banco revisa em baixa suas previsões no curto prazo e prevê um crescimento anual próximo de 0% em 2012, enquanto nas estimativas anteriores antecipava um crescimento do PIB de 1%.

Ontem à noite, a Standard and Poor's reduziu a perspectiva da nota da dívida grega para negativa, dizendo que os desafios políticos que enfrenta o país poderiam levar a outro rebaixamento.

E para finalizar, a agência de classificação financeira Fitch manteve nesta quarta-feira a nota "Triplo A", a melhor possível, para a dívida em longo prazo da Alemanha, e concedeu perspectiva estável, um indicador da força econômica do país, segundo um comunicado.