Bolsas europeias finalizam pregão novamente com ganhos 

As bolsas europeias finalizaram a sessão em alta, impulsionadas novamente com uma possível solução da crise na Europa. Com isso, em Londres, o índice FTSE 100 fechou com ganhos de 0,19%, aos 5.819 pontos; o DAX, em Frankfurt, teve alta de 0,52%, aos 6.954 pontos; e em Paris, o índice CAC-40 valorizou 1,45%, aos 3.450 pontos.

De acordo com Pedro Galdi, analista de investimentos da SLW Corretora, os investidores operaram com otimismo diante de uma possível solução da crise na Europa. Na Europa, os agentes seguem otimistas com o discurso do presidente do BCE, Mario Draghi, acreditando que uma futura intervenção econômica pode ser possível para salvar os países da Zona do Euro da crise.

Na agenda europeia os números vieram negativos, mas não interferiram no pregão. O Office Nactional Statistics (ONS) divulgou hoje, 07, que em junho, o indicador que mede a produção industrial do Reino Unido apontou queda de 4,3% em comparação com o mesmo período de 2011.

Por lá, a economia italiana afundou na recessão no segundo trimestre do ano, com uma contração de 0,7% de seu PIB em relação ao trimestre anterior, quando havia caído 0,2%, segundo a primeira estimativa divulgada nesta terça-feira, 07, pelo instituto de estatísticas Istat.

E como não era difícil de prever, os novos pedidos à indústria na Alemanha caíram 1,7% no mês de junho em comparação com o mês imediatamente anterior, segundo dados divulgados hoje, 07, pelo Ministério da Economia do país. É importante ressaltar que os números apontam uma desaceleração em um momento delicado para a região.

Ainda na região, o Fundo Europeu de Estabilidade Financeira (FEEF) emitiu dívida nesta terça-feira a três meses a juros negativos, anunciou nesta terça-feira o banco central alemão, que administra estas operações. O FEEF captou € 1,431 bilhão a um juros de -0,0217% e recebeu uma demanda de € 4,59 bilhões, três vezes mais que o captado. Vale lembrar que esta taxa negativa significa que os investidores aceitam receber uma quantidade inferior a que emprestaram ao emissor no dia do leilão.

Por outro lado, a Grécia captou nesta terça-feira € 812,5 milhões em bônus do Tesouro a seis meses, com taxas de juros em leve queda, a 4,68%, anunciou a agência grega de gestão de dívida pública (PDMA).

Ainda com relação a Grécia, o presidente do Eurogrupo (ministros das Finanças), Jean-Claude Juncker, pensa que uma saída da Grécia da Eurozona seria "administrável, mas não desejável", em uma entrevista publicada nesta terça-feira.