Premier da Itália diz que crise pode causar 'ruptura psicológica' na UE

O primeiro-ministro da Itália, Mario Monti, disse hoje (6) que o descontentamento causado pela crise econômica internacional pode levar a uma “ruptura psicológica” da União Europeia. Monti acrescentou ainda que conversou com a chanceler alemã, Angela Merkel, sobre sua preocupação com o ressentimento crescente dos italianos com os alemães.

Para Monti, é fundamental que os líderes europeus tenham mais liberdade na discussão sobre as medidas que devem ser adotadas na tentativa de conter os efeitos da crise. Mas a sugestão do primeiro-ministro italiano foi rejeitada por Merkel.

Os impactos da crise econômica internacional se refletem em vários locais, mas principalmente em alguns países da zona do euro, como a Itália, a Espanha e Portugal. As medidas de contenção elaboradas pelos governos desses países geraram reações na população. Manifestações se tornaram frequentes.

Os manifestantes alegam que as medidas levarão ao desemprego, a corte de salários e aumento de impostos.