Vendas do comércio no Rio aumentaram 8,2% entre janeiro e junho

As vendas do comércio na cidade do Rio de Janeiro aumentaram 8,2% no acumulado de janeiro/junho de 2012 em relação ao mesmo período de 2011, de acordo com a pesquisa Termômetro de Vendas divulgada mensalmente pelo Centro de Estudos do Clube de Diretores Lojistas do Rio de Janeiro – CDL-Rio, que ouviu cerca de 500 estabelecimentos comerciais.

Puxadas pelo Dia dos Namorados, as vendas de junho cresceram 8,7% em comparação com o mesmo mês do ano passado, mantendo o resultado positivo dos seis primeiros meses do ano. Comparando-se junho com o mês anterior (maio) as vendas diminuíram 1,3%, visto que em maio, além dos Dia das Mães (a segunda maior data comemorativa do comércio, atrás apenas do Natal) e também o fato de ter um dia a mais de vendas.

Quanto à forma de pagamento, a compra a prazo, com mais 9,2%, foi a modalidade preferida pelos clientes, enquanto a compra a vista registrou 7,8%.

A pesquisa mostra também que todos os meses do semestre foram de vendas positivas: janeiro (+8,2%), fevereiro (+4,9%), março (+9,5%), abril (+8,8%), maio (+9,7%) e junho (+8,7%).

O presidente do CDL-Rio, Aldo Gonçalves, disse que o resultado positivo dos primeiros seis meses de 2012 foi estimulado por várias iniciativas dos lojistas, entre elas o alongamento dos prazos de financiamentos, lançamento de produtos (especialmente nos segmentos de moda, brinquedos e confecções), liquidações e a redução de preços da linha branca.

“No Rio de Janeiro as vendas também estão sendo beneficiados pelas ações tomadas na área de segurança pública, que está proporcionando mais tranquilidade para os consumidores efetuarem suas compras, especialmente no comércio de rua. Essas medidas também atrairam muito mais visitantes, principalmente turistas, movimentando toda a cadeia produtiva da Cidade e do Estado”, conclui Aldo.

Segundo a pesquisa, o Ramo Mole (bens não duráveis) apresentou em junho um crescimento de 9,4% contra 8,5% do Ramo Duro (bens duráveis). Os melhores desempenhos foram dos setores de confecção (+9%), calçados (+7,1%) e tecidos (+3,9%) no Ramo Mole; eletrodomésticos (+8,6%), móveis (+7,6%) jóias (+6,1) e óticas (+3,2%) no Ramo Duro.

Em relação às vendas conforme a localização dos estabelecimentos comerciais, a pesquisa mostrou que, em junho, no Ramo Mole as lojas da Zona Sul venderam mais 21,3%, as da Zona Norte mais 6,7% e as do Centro menos 2,5%. No Ramo Duro, as lojas da Zona Norte faturaram mais 11,5%, as do Centro mais 5,9% e as da Zona Sul menos 0,3%.