CNI: 'semestre perdido' da indústria é puxado por automóveis 

O mês de junho marcou o 'semestre perdido' para a indústria brasileira com redução da produção, do número de empregados, do uso da capacidade instalada (UCI) e aumento dos estoques, segundo pesquisa divulgada nesta terça-feira pela Confederação Nacional da Indústria (CNI). O segmento que mais contribui para o resultado negativo de junho foi o de veículos automotores, que teve a maior queda na produção e no emprego, e sinalizou os menores índices entre os 30 setores pesquisados.

De acordo com a CNI, a política de incentivo ao consumo adotada pelo governo federal para acelerar o crescimento da economia não surtiu efeitos sobre a indústria no segundo trimestre do ano. A falta de demanda foi apontada pelas empresas como o terceiro maior problema enfrentado no último trimestre, atrás apenas da elevada carga tributária e da competição acirrada.

"A falta de demanda ganhou importância, no último trimestre, entre os principais problemas enfrentados pela indústria, mesmo com a adoção das recentes medidas de estímulo. Reflexo, em grande parte, do elevado nível de inadimplência - problema que também ganhou importância para a indústria -, que limita os efeitos de tais políticas", afirma a CNI no documento.