Bolsas europeias caem com crise na Grécia e Espanha

As bolsas europeias fecharam em queda devido à insegurança dos investidores com a crise econômica que se anuncia. Em Londres, o índice FTSE 100 operou com perdas de 0,63%, aos 5.499 pontos; o DAX, em Frankfurt, teve queda de 0,45%, aos 6.390 pontos; e em Paris, o índice CAC-40 desvalorizou 0,87%, aos 3.074 pontos.

De acordo com Adriano Moreno, analista de investimentos da Futura Investimentos, o cenário de crise da Grécia voltou com força e a hipótese de saída do país da Zona do Euro é o centro das atenções dos investidores de todo o mundo. Segundo o analista, os dados de PMI da agenda econômica mundial ficaram em segundo plano e os mercados tendem à queda até que uma decisão sobre a economia da Grécia e Espanha seja tomada.

A Espanha conseguiu nesta terça-feira emitir bônus a 3 e 6 meses por 3,05 bilhões de euros, mas para isso precisou voltar a oferecer juros em alta, diante do receio dos mercados sobre a solvência deste país da Eurozona, segundo a agência de notícias AFP. A captação a três meses saltou de 2,362% para 2,434% e a de seis meses de 3,237% a 3,691% em relação às últimas emissões similares.

A agenda econômica veio recheada no continente, porém, com a crise os dados ficaram em segundo plano em nível de importância. Foi divulgado o índice dos gerentes de compras (PMI, na sigla em inglês) do setor industrial da Alemanha recuou a 43,3 pontos em julho, após ter registrado 45,0 pontos no mês imediatamente anterior, segundo informações preliminares divulgadas hoje pelo Instituto de pesquisas Markit Economics.

Já o índice dos gerentes de compras (PMI, na sigla em inglês) de serviços alemão recuou a 49,7 pontos em julho, após ter registrado 49,9 pontos no mês imediatamente anterior. As informações preliminares foram divulgadas hoje pelo Instituto de pesquisas Markit Economics.

Na Zona do Euro, o índice gerente de compras (PMI, na sigla em inglês) composto, medida ampla do setor privado que combina dados manufatureiros e de serviços, ficou estável em julho, permanecendo em 46,4 pontos, segundo dados preliminares divulgados pelo instituto Markit Economics.

No setor manufatureiro, o índice dos gerentes de compras (PMI, na sigla em inglês) dos países que compõem a zona do euro recuou para 44,1 pontos no mês de julho, segundo informações preliminares divulgadas hoje pelo instituto de pesquisas Markit Economics.

Por fim, o Índice Gerente de Compras (PMI, na sigla em inglês) do setor de serviços nos 17 países que compõem a zona do euro registrou leve alta em julho deste ano, ao passar dos 47,1 pontos, para 47,6 pontos, segundo informações preliminares do instituto de pesquisas econômicas, Markit Economics.